Dez imigrantes residentes na Praia contemplados com prémio de cerca de 500 contos na I edição do Empreendedorismo Startup Imigrante

O valor do prémio consiste em equipamentos e materiais para os negócios, 20 meses de incubação, capacitações técnicas e assessoria de marketing.

Dez imigrantes, entre 30 finalistas, tiveram os seus projetos selecionados para a fase final do Concurso de Empreendedorismo Startup Imigrante, promovido pelo Business Incubation Center (BIC), em parceria com a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Câmara Municipal da Praia. O concurso tem como objetivo a promoção do empreendedorismo entre os imigrantes residentes na capital.

Segundo os promotores, o concurso contou inicialmente com 227 candidaturas e os finalistas são da Guiné- Bissau, Guiné-Conacri e Senegal. A cerimónia de premiação aconteceu hoje, 4 de junho, na cidade da Praia.

Segundo a diretora do BIC, Dilma Vieira, o concurso foi dividido em três fases e contou com imigrantes de 12 países distintos, sendo a maioria africana, e de diferentes faixas etárias, dos 23 aos 61 anos, embora o mesmo “não tinha um limite de idade”.

“A nível do género tivemos sempre uma equidade entre os participantes, tendo 59 mulheres e 61 homens na primeira fase, 41 mulheres e 59 homens na segunda fase e por fim, 15 mulheres e 15 homens na terceira fase”, contabilizou a mesma fonte que destacou como um “dado histórico” já que conseguiram garantir uma equidade de género do início ao fim”.

Entre os projetos selecionados, 40 por cento estavam na fase de idealização e 60 por cento na fase de implementação, sendo estes nas áreas de tecnologia, restauração, serviços, carpintaria, creche, costura, construção civil, pecuária e artesanato.

“Os critérios de avaliação utilizados pelos jurados foram a viabilidade técnica e financeira, potencial do mercado, recursos humanos, sustentabilidade do projeto, inovação, impacto social dos projetos e a clareza na apresentação”, esclareceu a diretora do BIC.

“Os vencedores vão ser contemplados com o prémio de 5 mil dólares (cerca de 500 contos) em compra de equipamentos e materiais para os negócios, 20 meses de incubação, capacitações técnicas e assessoria de marketing, que também será garantida aos 30 finalistas”, afirmou.

Durante o discurso de agradecimento, os participantes manifestaram a sua satisfação pela conquista e pela “oportunidade dada para o crescimento dos negócios na capital”.

Em declarações à imprensa, o presidente da Câmara Municipal da Praia, Francisco Carvalho, considerou que o benefício direto do concurso “consiste na garantia da criação de mais dez negócios na cidade da Praia”.

“Cada um dos promotores passará a ter as suas próprias empresas e dentro dessas próprias empresas vão passar a ter mão de obra e serviços que vão estar a ser prestados dentro do município”, destacou.
“Os imigrantes podem ver de facto que a Câmara está empenhada em ajudar a todos que procuram o município para viver. Por isso, vamos assumir os outros 20 finalistas que se mantiveram firmes até o fim”, sublinhou o edil.

Ainda no final da entrevista, o autarca evidenciou que há outros projetos nos quais será dada a atenção aos imigrantes residentes na Praia, onde possam ser atendidos e esclarecidos em todas as matérias para incluir os imigrantes dentro da esfera económica da capital.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest