Dia Mundial da Água: Governo justifica falta de água na cidade da Praia com aumento da população

O ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, justificou hoje o problema da falta de água na cidade da Praia, sobretudo com o aumento da população, e considerou legítimo as pessoas reclamarem por mais água e melhor serviço.

Nós estamos perante uma situação de um aumento considerável de mais de 20 mil famílias que acederam ao serviço de ligação de água em vários bairros que não tinham água aqui na cidade da Praia, o caso da Cidadela, Simão Ribeiro e outras zonas periféricas da Praia”, disse o ministro à margem da abertura oficial do curso de licenciatura em Engenharia Agroflorestal, da Universidade de Cabo Verde.

Questionado pela à Inforpress, sobre o assunto no Dia Mundial da Água, celebrado a 22 de Maio, este ano sobre o tema “Água para a Paz”, disse que apesar dos investimentos consideráveis e progressos no sector da água, há necessidade de uma maior produção de água e ainda muito por fazer.

Neste sentido, assegurou que o Governo está a fazer de tudo para melhorar a situação de falta de água na cidade da Praia, mas também em todo o país, e que está em andamento um conjunto de medidas assentes em três linhas importantes.

“A primeira tem a ver com a resolução dos problemas nas dessalinizadoras existentes, de modo a aumentar a capacidade actual que está na ordem dos 13 mil para 17.200 metros cúbicos dias, o que vai acontecer nos próximos meses com trabalho de manutenção profunda nos sistemas”, indicou.

A segunda intervenção, segundo o ministro, está em curso o projecto de eficiência hídrica que prevê intervenções em vários bairros para reduzir as perdas.

“O Estado deu aval à empresa Águas de Santiago (AdS) no valor de 270 mil contos e ainda este ano vamos adicionar mais 60 mil contos na Praia para dar combate às perdas”, acrescentou, assegurando que esta medida terá impacto positivo na capital do país.

Entretanto, considerou que neste momento existe muita pressão nesse sentido, e que é legítimo que as pessoas queiram mais água e melhor serviço, mas sublinhou que os todos devem olhar pelo percurso que a própria cidade da Praia teve até hoje e por tudo aquilo que ainda está por fazer.

Apontou que a terceira intervenção visa adquirir novas dessalinizadoras e instalar uma nova estação de dessalinização.

“Há mobilização de recursos, o Estado está a trabalhar num sentido de se implementar, mas não é uma medida que vem de dia para noite e a curto termo, porque são projectos para o sector da água, e esse projectos são de ciclo longo”, explicou Gilberto Silva, indicando que os projectos estão em curso e vão produzir os seus efeitos nos próximos anos.

Na ocasião, o governante adiantou que além da capital do país, existem outros municípios e, até este momento, já aumentaram a capacidade de produção de água com novas dessalinizadoras em 10 mil metros cúbicos nas ilhas do Sal e São Vicente.

“Houve um aumento de cinco mil metros cúbicos dia de água na Praia, 1.200 em Santa Catarina de Santiago, 500 em Santa Cruz, com a resolução de uma dessalinizadora que não funcionava, depois introduzimos a nova dessalinizadora na ilha do Maio com cerca de 600 metros cúbicos por dia”, precisou.

Para o segundo semestre deste ano, afirmou que está previsto ainda a inauguração de uma dessalinizadora 100 por cento (%) solar na ilha Brava.

O Dia Mundial da Água foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 22 de Março de 1992, visando a conscientização da população a respeito desse recurso natural.

O tema deste ano é “Água para a Paz” e reflecte a crescente compreensão da interconexão entre a água, a segurança, o desenvolvimento sustentável e a paz mundial.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest