Droga no Maio: Dez arguidos proibidos de se ausentar da ilha sem autorização judicial

Medida foi aplicada depois do interrogatório judicial na sequência de suspeita de crimes de tráfico de droga e lavagem de capitais.

Além dos nove arguidos que ficaram em prisão preventiva, conforme anunciado ontem, dia 31, pela imprensa, há dez suspeitos que ficaram proibidos de se ausentar da ilha do Maio e com interdição de saída do país. A informação é avançada pela Polícia Judiciária em comunicado.

No total são 19 os arguidos de nacionalidade cabo-verdiana que são suspeitos da prática dos Crimes de Tráfico de droga de alto risco, associação criminosa para tráfico, roubo agravado e lavagem de capitais, na sequência do aparecimento de pacotes de drogas (cocaína) nas zonas costeiras da ilha do Maio. Aos mesmos foram aplicadas medidas de coação diversas. Nove ficaram em prisão preventiva.

Os arguidos foram detidos fora de flagrante delito pela PJ, entre os dias 25 e 27 de março, por ordem do Ministério Público e no âmbito de um Mandado de Buscas Domiciliárias à residência de 22 indivíduos, na ilha do Maio, avançam as autoridades.

“Os detidos de nacionalidade cabo-verdiana, com idades compreendidas entre 23 e 46 anos, naturais das ilhas do Maio e Santiago, sendo dezasseis (16) do sexo masculino e três (03) do sexo feminino, são suspeitos da prática dos Crimes de Tráfico de droga de alto risco, associação criminosa para tráfico, roubo agravado e lavagem de capital”.

A PJ avança que nesta operação foi apreendida uma certa quantidade (sem especificar qual) de cocaína, com elevado grau de pureza, mais de 200 mil escudos em dinheiro, entre outras provas

Depois do primeiro interrogatório judicial no dia 27, nove arguidos, sendo oito do sexo masculino e um do sexo feminino ficaram em prisão preventiva e aos restantes dez (10) arguidos, sendo oito (08) do sexo masculino e dois (02) do sexo feminino, foi decretada a apresentação periódica semanal na Esquadra Policial no Maio e a interdição de saída do país e proibição de ausentar da ilha do Maio sem autorização judicial.

As autoridades reforçam que “a referida operação que está enquadrada no plano de prevenção e combate ao tráfico de estupefacientes interno, encontra-se em investigação no Departamento Central de Ação Penal da Procuradoria-Geral da República, sob segredo de justiça.”

Balai Notícias

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest