Agricultores da Ribeira das Patas “cada vez mais aflitos” com redução da disponibilidade de água para agricultura

Os agricultores na bacia hidrográfica da Ribeira das Patas, Porto Novo, em Santo Antão, estão “cada vez mais aflitos com a falta de disponibilidade de água para a agricultura como consequência da ausência de chuva.

O alerta partiu hoje da associação de desenvolvimento integrado desta localidade, que avisou que a ausência de chuvas, que se faz sentir nos últimos cinco anos no município do Porto Novo, fez reduzir “drasticamente” o caudal das nascentes com impacto na disponibilidade de água para a irrigação.

O representante desta associação, Arlindo Delgado, disse à Inforpress que os agricultores na Ribeira das Patas, um dos vales agrícolas mais extensos do arquipélago, estão “aflitos” com a situação das nascentes, que estão a “secar” devido à demora na queda das chuvas.

“Até agora nada de chuvas na Ribeira das Patas. Somente demonstrações. Estamos ansiosos pela queda das chuvas porque as nascentes estão a precisar”, adiantou este responsável.

O próprio Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) reconhece que Ribeira das Patas é a “face mais visível” da seca que assola Porto Novo, já que, sem chuva há vários anos, as nascentes estão a ser afetadas de forma rigorosa.

O projeto de ordenamento desta bacia hidrográfica constitui, porém, a esperança dos lavradores, segundo os quais a redução da disponibilidade de água para agricultura pode ser atenuada com a prospeção de águas subterrâneas.

O projeto deve começar em Julho de 2023, segundo previsão do MAA.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest