Cabo Verde considerado segundo melhor ecossistema para startup tecnológica da CEDEAO

Cabo Verde foi considerado o segundo melhor ecossistema para startup tecnológica da CEDEAO ao subir sete posições no ranking mundial de Ecossistema de Inovação da StartupBlink 2022.

Esta informação foi avançada pelo Governo em comunicado de imprensa, tendo adiantado que o arquipélago ocupa a posição 80 a nível mundial, após ter entrado, em 2020, no ranking dos 100 melhores ecossistemas para startups de base tecnológica do mundo.

“O país posiciona-se como o segundo melhor ecossistema de inovação a nível da CEDEAO. “Antes de 2019, não estávamos nesta lista. Em 2020, entrámos orgulhosamente, pela primeira vez, no top 100 do StartupBlink, que avalia os melhores ecossistemas globais de startups de base tecnológica”, afirma o secretário de Estado da Economia Digital, Pedro Lopes.

O Governo, de acordo com este responsável, tem como propósito a criação de uma economia transformada e digitalizada, posicionar o país como um hub de prestação de serviços digitais de excelência, para o mercado regional, salientando que esta classificação vai exigir trabalho árduo para que Cabo Verde possa manter-se nos top 100 e subir posições.

Segundo a mesma fonte, para alcançar as metas propostas, diferentes iniciativas têm sido implementadas, desafiando, constantemente, jovens empreendedores a, com ousadia, criar e apresentar soluções tecnológicas para os desafios a que são expostos.

“Este posicionamento é o reconhecimento de uma aposta bem clara, deste Governo, em políticas públicas que dão cada vez mais condições para os jovens se formarem e empreenderem no digital em Cabo Verde”, asseverou.

Reconheceu, no entanto, que esta subida é também o reconhecimento das nossas startups e do talento de quem empreende no digital em Cabo Verde e que este reconhecimento é da comunidade.

”Em três anos programas direcionados ao empreendedorismo de base tecnológica foram lançados, o Kôde Verde, o primeiro programa de formação profissional em programação, a Bolsa Cabo Verde Digital, o primeiro e maior programa de pré-incubação de projetos de base tecnológica de Cabo Verde e o GoGlobal, onde damos, às nossas startups, a possibilidade de estar presentes em eventos internacionais”, lembrou.

Avançou, por outro lado, que além de programas de aumento da literacia digital e fomento do network, condições estruturais estão a ser criadas para o desenvolvimento do ecossistema digital em Cabo Verde, como, a facilitação do acesso ao crédito para jovens, com taxas de juro de 1,75% e garantias de até
80%, a finalização da construção do parque tecnológico em São Vicente e Santiago.

Destacou ainda o reforço da conectividade, com o investimento no Cabo EllaLink, estando já em vista a preparação de um enquadramento legal para definir uma taxa social para a internet, para que o digital funcione como uma verdadeira ferramenta de escala social.

A StartupBlink é um centro de pesquisa referência internacional que faz o mapeamento em 1.000 cidades em 100 países, avaliando os ecossistemas de inovação para startups em todo o mundo em quesitos como ambiente de inovação, de negócios e qualidade das empresas de tecnologia.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest