Conselho Orientador do Observatório do Mercado de Trabalho reúne-se para discutir e aprovar plano de actividades

A discussão e aprovação do plano de actividades para o diagnóstico da situação do emprego no País são alguns dos pontos na agenda da primeira reunião, hoje, do Conselho Orientador do Observatório de Mercado de Trabalho.  

A informação foi avançada à Inforpress pela presidente deste conselho orientador, Judite Nascimento, segundo a qual trata-se de um conselho que aprova os instrumentos, estratégias e o funcionamento do Observatório do Mercado de Trabalho de Cabo Verde.

De acordo com aquela responsável, no primeiro período do dia esteve sobre a mesa a discussão e foi aprovado o regulamento do funcionamento deste órgão orientador.

“Temos ainda em agenda a discussão do plano de actividades e do relatório já desenvolvido pela comissão técnica, que tem trabalhado há dois anos e produziu toda a documentação de regulação do funcionamento, mas também toda a identidade visual do observatório”, acrescentou.

No plano de actividades, a ser aprovado, propõe-se, segundo Judite Nascimento, uma série de actividades que levam ao diagnóstico daquilo que é a situação do sector e a realização de vários estudos que venham a servir de suporte à tomada de decisões políticas sobre o sector.

Estas decisões serão tomadas com base no diagnóstico da tendência de evolução do mercado de trabalho, a ser feito pelo Conselho Orientador, que visa ainda desenhar estratégias para que os decisores políticos possam suportar essas decisões.

“Me parece, pelas estatísticas que existem hoje, que a situação da empregabilidade dos jovens é preocupante. Estamos com um nível de desemprego preocupante e poderemos sim, conhecendo a realidade, através de estudos (…), compreender estas tendências e fazer documentação de políticas e de estratégias que possam ajudar os decisores a regular o mercado de trabalho”, precisou.

O Observatório do Mercado de Trabalho, criado pelo Governo em 2020, tem a missão de investigar, prevenir e antecipar soluções para problemas de emprego e formação profissional. Tem na sua estrutura, além do Conselho Orientador, o Conselho Técnico e Científico e uma Unidade Técnica.

O Conselho Orientador, que deverá reunir-se em sessões ordinárias, pelo menos, duas vezes por ano, é o órgão que governa o observatório e é constituído por 21 representantes de diversos sectores.

Fazem parte do conselho, um representante dos reitores das universidades, da Direcção Nacional do Planeamento, do Ministério da Educação, da Direcção-geral do Emprego, Formação Profissional e Estágios Profissionais e do Instituto Nacional de Estatística.

Integram ainda o conselho, representantes do Instituto do Emprego e Formação Profissional, do Instituto Cabo-verdiano para Igualdade e Equidade de Género, do Sistema Nacional de Qualificações, da Direcção-geral do Trabalho, da Inspecção-geral do Trabalho, representantes das organizações representativas dos trabalhadores e de associações de jovens e dos municípios, entre outros.

 

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest