Criadores do Porto Novo voltam a alertar para a “má qualidade” da ração animal

A Associação de Criadores de Gado do Porto Novo, Santo Antão, voltou hoje a alertar para a “má qualidade” da ração animal que está a ser adquirida no âmbito do programa de mitigação dos efeitos da seca.

O representante desta associação, Romeu Rodrigues, disse à Inforpress que a ração que está a ser subsidiada em 30 por cento (%) pelo Governo no quadro do plano de emergência para fazer face ao mau ano agrícola “não tem qualidade”, facto que continua a inquietar os pastores.

A maior preocupação tem a ver com o gado caprino, designadamente as cabras leiteiras, que, ao consumirem a ração, deixam de produzir o leite, que é a fonte de rendimento das famílias, avançou este responsável, que em Maio já tinha alertado para a “má qualidade” da ração.
“Já tínhamos alertado ao Ministério da Agricultura e Ambiente sobre esta situação. A ração subsidiada pelo Governo está a secar as cabras para a aflição dos criadores”, sublinhou Romeu Rodrigues.

Na zona Sul e no Planalto Norte, os criadores de gado já tinham avisado a “quem de direito” para “controlar a qualidade da ração” para poderem “manter a produção de queijo”, atividade que sustenta mais de uma centena de famílias em ambas as localidades.

“Os criadores dependem da produção de queijo para a garantia do sustento familiar. Com esta ração, esta atividade está em risco, dia após dia os criadores estão perdendo os seus rendimentos”, declarou o porta-voz dos criadores das zonas altas, António Lima.
“O Estado está a subsidiar 30% da ração, mas são os criadores que estão pagando 70%. Tudo isso para uma coisa sem qualidade”, concluiu este produtor de queijo.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest