Governo quer escolas técnico-profissionais em todas as ilhas para garantir a todos acesso à formação profissional

O Governo quer escolas técnico-profissionais em todas as ilhas para “reduzir as assimetrias” e “garantir o acesso à formação profissional de qualidade a todos os jovens cabo-verdianos” lá onde estiverem, disse hoje o primeiro-ministro.

Ulisses Correia e Silva, que falava aos jornalistas na sequência da realização, na Cidade da Praia do fórum

“Qualidade da formação técnica e profissional em Cabo Verde”, adiantou que o ensino técnico-profissional está dentro do programa de reforma do ensino secundário.

Aproveitou para mencionar a recente experiência realizada em São Vicente com reabilitação, requalificação e equipamento da Escola Técnica do Mindelo.

Conforme indicou, o objetivo é criar possibilidades no sistema do ensino secundário de aumento de competências úteis para os jovens e dar a possibilidade de saídas profissionais para aqueles que quiserem depois ir para o mercado de trabalho ou ter o seu próprio emprego.

“O que nós precisamos é aumentar essa escala e ter essa presença de pelo menos uma vertente do ensino técnico profissional no sistema de ensino secundário em todas as ilhas”, indicou o chefe do Governo, para que “as oportunidades para Brava não sejam fechadas para jovens da Brava porque estão na Brava”, sintetizou.

Mas sim, continuou, dar a possibilidade aos jovens da Brava de terem também acesso às qualificações. “Quem diz Brava, diz Boa Vista e outras ilhas”, precisou.

Ulisses Correia e Silva frisou que a formação profissional tem “efeito importante” e a nível da criação de oportunidades e empreendedorismo, que considera ser elevado, apontando que a taxa de empregabilidade dos jovens beneficiados com a formação profissional em Cabo Verde situa-se entre 70 a 75%.

“Empregabilidade não só trabalhar por conta de outrem, mas trabalhar por conta própria, ter possibilidade montar um pequeno negócio, enquadrado dentro do ecossistema   financeiro, fiscal de financiamento”, referiu, indicando que tem sido “muito bom” pelo que o Governo vai continuar a reforçar e ganhar mais escala, tendente “à redução das assimetrias”.

Quando se fala da formação profissional a sustentabilidade é uma questão importante, reconheceu o primeiro-ministro, que adiantou que o Governo dota anualmente no Orçamento do Estado valores “relativamente elevados” para o financiamento do sector.

“A maior parte dos cursos de formação profissional são subsidiados e de uma forma muito particular para os jovens que vêm de famílias mais pobres, mas estamos a trabalhar também para uma maior intervenção do sector privado na oferta de ações de formação profissional”, concretizou o chefe do Governo.

Ulisses Correia e Silva falou também das condições para o aumento dos níveis na investigação e adiantou que o Orçamento do Estado tem tido uma opção “muito clara de aumentar recursos” para ciências, investigação e desenvolvimento.

“Desde 2020 nós duplicamos o valor do investimento em transferências para o INIDA que tem estado a fazer um grande trabalho de proveito muito útil para o sector agrícola, mas temos outras áreas de investigação e desenvolvimento que queremos potenciar”, indicou.

O fórum “Qualidade da formação técnica e profissional em Cabo Verde” é promovido pelo Governo através da Direcção-Geral do Emprego e Formação Profissional e visa debater a qualidade da formação técnica profissional em Cabo Verde.

O evento, que tem a duração de dois dias, reúne dirigentes e especialistas nacionais e estrangeiros e visa fomentar um diálogo profícuo e promover um intercâmbio de experiências com todos os actores das esferas públicas e privadas sobre a temática da qualidade da formação técnica profissional no país.

Segundo o diretor-geral do Emprego e Formação Profissional, Danilson Borges, este fórum, que contará com apresentação de especialistas de Portugal, do Brasil, de Suíça e Reino Unido, está enquadrado num conjunto de medidas e reformadas que o sector do emprego e da formação profissional vem sofrendo nos últimos tempos com envolvimento de diversos parceiros chaves.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest