MAA perspectiva “para breve” normalização do fornecimento de água para o gado no município do Porto Novo

O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) espera “para breve” a normalização do fornecimento de água para o gado no Porto Novo, em Santo Antão, mais precisamente no Planalto Norte e na zona baixa deste município.

A previsão é do delegado do MAA no Porto Novo, Joel Barros, que explicou que o projecto de bombagem e adução de água ao Planalto Norte, que deve recomeçar agora em Maio, e os projectos previstos para a cintura periférica da cidade do Porto Novo vão normalizar o problema da água para os animais.

O projecto de bombagem e adução de água ao Planalto Norte, que está parado desde Março, deve ser retomado ainda no decurso deste mês de Maio, estando o MAA e o empreiteiros “nos arranjos finais” para o reinício das obras, resolvido que está o problema do financiamento que levou à suspensão dos trabalhos, assegurou este responsável.

Em relação à zona baixa do Porto Novo (arredores da cidade), o MAA diz ter “tudo pronto” para iniciar os dois projectos já financiados que visam criar pontos de abastecimento de água a cerca de 70 criadores.

Os criadores de gado neste concelho dizem enfrentar, nesta altura, “situação de penúria” de água, provocada pela avaria do autotanque do MAA.

Aníbal Lima, porta-voz dos criadores de gado do Planalto Norte, disse à Inforpress que tem sido “muito difícil” para os pastores encontrar uma viatura autotanque, mesmo junto dos privados, para o transporte de água àquela localidade.

A tarifa de transporte de água praticada pelos privados é “muito elevada”, mas “mesmo assim está a ser muito difícil” para os criadores do Planalto Norte encontrar um autotanque disponível para levar água àquela localidade distante e de difícil acesso, explicou.

Na zona periférica da cidade do Porto Novo, o representante dos criadores, Romeu Rodrigues, explicou que nesta parte do município o problema tem a ver, sobretudo, com o custo “muito elevado” do transporte que é “insuportável” para a classe.

“O transporte de nove toneladas de água através da viatura do MAA fica por pouco mais de mil escudos, enquanto que os privados cobram mais de cinco mil escudos. Muitos criadores não conseguem suportar este custo”, esclareceu este responsável.

O delegado do MAA, Joel Barros, disse à Inforpress que este ministério tem um acordo com a Câmara Municipal do Porto Novo para auxiliar os criadores no transporte de água.

O MAA tem estado, nestes anos de seca, a subsidiar o serviço de transporte de água para o gado no concelho do Porto Novo em 75 por cento (%).

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest