OIT: Sistema de informação do mercado de trabalho desempenha um papel crucial para o alcance dos ODS

O sistema de informação do mercado de trabalho desempenha um papel crucial tanto para o país como para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, impulsionando o crescimento inclusivo, a promoção do emprego digno e o desenvolvimento sustentável.

A consideração é da coordenadora da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em Cabo Verde, Dinastela Curado, na abertura do ateliê de reforço de capacidades em matéria de Estatísticas e Análise do Mercado de Trabalho, promovido conjuntamente pela OIT e pelo INE, na cidade da Praia.

O ateliê, que é destinado aos técnicos do INE, visa o treinamento em análise de dados e fortalecer as capacidades nacionais em termos de análise e interpretação de indicadores do mercado de trabalho com referência aos padrões internacionais recentes sobre estatísticas do trabalho, em particular, a principal resolução adotada na 19ª Conferência Internacionais de Estaticistas do Trabalho (CIST).

Neste particular, Dinastela Curado sublinhou que o sistema de informação do mercado de trabalho fornece dados e análise atualizados sobre o emprego, desemprego, condições de trabalho, remuneração, e outras e informações relevantes que são essenciais para os reguladores das políticas, permitindo que tomem decisões com base em evidências sólidas.

“Os dados do mercado de trabalho podem ajudar a identificar problemas, resolver estratégias, avaliar o impacto das políticas adotadas, revelar desigualdades, lacunas e informações de interesse para as partes interessadas com vista a implementar políticas e programas direcionados para reduzir as disparidades e garantir que ninguém seja deixado para trás”, salientou.

Por outro lado, adiantou que as estatísticas do mercado de trabalho são cruciais para o OIT, pois permitem que a organização identifique as desigualdades e disparidades no mundo do trabalho, incluindo questões como a discriminação de género, a informalidade, o trabalho infantil e a pobreza e monitorar a situação em todo mundo dando informações para a promoção da justiça social, do combate à exploração e melhoraria das condições de trabalho para todos.

Segundo a vogal do conselho diretivo do INE, Annie Sanches, desde 2011 que a instituição está produzir estatísticas do emprego, pelo que considera ser fundamental adotar a resolução saída da 19ª Conferência Internacional de Estaticistas do Trabalho e passar a pôr à disposição dos decisores e dos parceiros estatistas que possam responder às atuais mudanças ocorridas a nível da sociedade.

O INE, indicou, implementou pela primeira vez a nova resolução relativa às estatísticas do trabalho emprego na recolha dos dados por meio do Inquérito Multiobjectivo Contínuo (IMC) entre Dezembro de 2022 e Fevereiro de 2023 em todo o território nacional.

Neste sentido, indicou que este ateliê visa, sobretudo, melhorar as estatísticas produzidas em Cabo Verde e torná-las comparáveis à escala global.

Durante uma semana, os técnicos do INE, juntamente com especialistas da OIT, vão debruçar sobre a melhores práticas em matéria de planificação e conceção dos inquéritos, passando pelos princípios que são fundamentais para se captar um conjunto de informações sobre as características dos trabalhadores, suas atividades e formas diversas de emprego e trabalho, fortalecendo, assim, as capacidades nacionais em termos de análise e interpretação dos indicadores do mercado de trabalho.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest