Parceria com Cermi vai permitir redução do consumo de energia ao Nosi na ordem dos 30 a 40%

O NOSi e o CERMI assinaram hoje um memorando de entendimento para a implementação do projeto de energias renováveis, que vai permitir a redução do consumo de energia ao Data Center, na ordem dos 30 a 40%.

O contrato foi rubricado pelos presidentes do Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI), Gilson Correia, e do Núcleo Operacional para Sociedade de Informação (Nosi), Carlos Tavares Pina, nas instalações do Data Center, na Cidade da Praia.

Na ocasião, o responsável do CERMI avançou que este protocolo veio na sequência de reuniões de trabalho técnicas entre as duas instituições com o objetivo de apoiar o NOSi na transição energética.

“O objetivo fundamental vai ser a instalação do sistema de energias renováveis aqui no Data Center”, afirmou, acrescentando que o intuito é reduzir, sobretudo o consumo de energia e, por conseguinte, a fatura elétrica mensal, assim como a redução da emissão de gases com efeito de estufa para o ambiente.

Isto porque considerou que o diagrama de carga do Data Center tem um consumo bastante significativo, daí, afirmar que a potência a ser instalada nessas instalações vai ser consumida a 100 por cento (%), ou seja, o edifício vai ter uma taxa de autoconsumo de 100%.

“Vai permitir que toda essa energia produzida pelos painéis solares seja consumida e, pontualmente, nos fins de semana, se não houver consumo na instalação, essa energia não vai ser consumida, mas sim, injetada na rede”, explicou.

Neste sentido, Gilson Correia considerou ser este um projeto rentável, cujo orçamento pode rondar os 20 mil contos, entretanto, com retorno à volta de três a quatro anos, tendo garantido que trará ganhos e benefícios, uma vez que o tempo de vida desse tipo de projeto é de 20 a 25 anos.

“O NOSi só vai ganhar com esse tipo de projeto, reforçou o presidente do CERMI, que informou que por agora vão iniciar a fase técnica para conhecer melhor o perfil de carga da instituição e, partir daí, desenhar um projeto à medida do NOSi, que vai trazer ganhos na redução do consumo de energia em 30 a 40% do que esta instituição paga atualmente.

O presidente do NOSi, Carlos Tavares Pina, por seu lado, disse esperar, com este projeto, a redução do custo operacional do ponto de vista energético, ou seja, o peso das faturas daquilo que é a estrutura do custo do NOSi, concretamente o Data Center, que é muito elevado.

“Esperamos uma redução, como disse o senhor presidente do CERMI, entre 30 a 40%, o que é significativo, pois, estamos a falar aqui à volta de dois mil contos de redução”, precisou.

Quanto ao financiamento, adiantou que o Nosi está a trabalhar em duas frentes, sendo o primeiro, junto dos seus parceiros, com o apoio do Governo, no âmbito da transição energética do País, ou através do banco, já que admitiu, é um projeto rentável, com vida útil de mais de duas dezenas de anos.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest