Porto Novo: Agricultores reforçam cultivo do tomate e repolho nesta época para “fintar” a traça do tomateiro

Os agricultores no concelho do Porto Novo, em Santo Antão, estão a reforçar o cultivo do tomate e repolho para “fintar” a praga “traça do tomateiro”, que ataca estas culturas em períodos mais quentes.

Os agricultores explicaram que nesta época do ano, em que se faz algum frio, a “traça do tomateiro” dá trégua aos lavradores, que aproveitam para reforçar o cultivo do tomate e do repolho, as duas culturas mais afetadas por esta praga, que tem estado a provocar estragos em várias zonas, com destaque para Ribeira Fria, Alto Mira, Ribeira dos Bodes e Casa de Meio.

Henrique da Luz, representante dos agricultores na Ribeira dos Bodes, explicou que esta praga começa a atacar as culturas só a partir de Março, razão pela qual os primeiros meses do ano são propícios para o reforço do cultivo, sobretudo, do tomate.

“Esta praga dá tréguas aos agricultores nesta altura do ano, mas a partir de Março começa a atacar”, notou este agricultor, confirmando que a traça do tomateiro, detectada no concelho do Porto Novo há quase duas décadas, vem atacando, também, o repolho.

Os agricultores têm estado à procura de novas formas de combater esta praga, segundo o presidente da Associação dos Agricultores da Ribeira Fria, um dos vales mais infestados pela traça do tomateiro.

A “traça do tomateiro” tem sido controlada através de “armadilhas” já que ainda não se encontrou formas mais eficientes de se fazer o combate, segundo um técnico do Ministério da Agricultura e Ambiente.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest