Porto Novo: FAO ajuda a atenuar “situação crítica” de água para o gado

Os criadores de gado no município do Porto Novo estão a ser socorridos no âmbito de um programa com duração de três meses para fazer face à “situação crítica” em termos de água para os animais.

A informação foi avançada hoje à Inforpress pelo delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) no Porto Novo, Joel Barros, que explicou que se trata de um programa, assegurado por este ministério, pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e pela edilidade porto-novense.

Joel Barros adiantou que, graças a esta parceria entre estas três instituições, os criadores de gado no concelho estão, desde quarta-feira, 03, a ser socorridos pelos auto-tanques da Câmara Municipal do Porto Novo, com o apoio financeiro da FAO.

Este programa surge depois dos criadores de gado terem, semana passada, pedido “socorro” do MAA à classe no transporte de água para o salvamento do seu efetivo.

Romeu Rodrigues, representante da Associação de Criadores de Gado do Porto Novo, lembrou, na ocasião, que, “há vários anos” os pastores têm vindo a pedir ao MAA um camião auto-tanque para atender às necessidades dos criadores, que se debatem com “uma situação de penúria de água”.

Este responsável disse que Porto Novo, por dispor do maior efetivo pecuário do País, com 27 mil cabeças de gado, precisa de mais um auto-tanque (a única viatura existente está avariada) para salvar os seus animais.

O próprio delegado do MAA admitiu à Inforpress que o abeberamento do gado no concelho do Porto Novo tem sido “um grande desafio” para o sector pecuário neste município, assegurando, porém, que estão em curso alguns projetos que vão amenizar esta situação.

Porém, com o envolvimento da FAO, que vai apoiar financeiramente no transporte de água nos próximos três meses, as dificuldades dos criadores de gado no Porto Novo vão ser atenuadas.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest