Presidente: Citi-coop reduziu em 48% a sua actividade financeira em 2021

O presidente da Cooperativa para a Promoção da Inclusão Financeira (Citi-coop) revelou hoje que em 2021 a organização reduziu em quase 48% a sua actividade financeira e para 2022 prevê a mobilização de poupança de sócio retomar em força.

Em declarações à Inforpress para fazer o balanço do funcionamento da organização em 2021 e perspectivar 2022, Jacinto Santos explicou que o produto principal Citi-Coop é micro-crédito, sendo que mais de 80 por cento (%) dos sócios são mulheres chefes de família, que estão no sector informal e no pequeno comércio e que, com o confinamento e conjunto de restrições impostos pela pandemia da covid-19, deixaram de trabalhar e perderam rendimentos.

“Tivemos uma redução drástica na nossa actividade financeira de quase 48%, relacionada com o número de créditos que concedemos”, indicou, revelando que a cooperativa fixou como meta de 2020/2021, conservar os postos de trabalho dos 17 colaboradores, mas que a decisão tomada para 2022, “infelizmente, é reduzir o pessoal” para se poder “aumentar o nível de rentabilidade e pôr foco no volume de empréstimos a serem concedidos”.

De acordo com Jacinto Santos, em plena crise, a Citi-coop conseguiu mobilizar recursos junto da banca que permitiu terminar 2021 com um “volume de crédito importante” em relação ao que aconteceu em 2020, sendo que a expectativa em 2022 é continuar a trabalhar para reduzir os custos operacionais e despesas gerais de funcionamento da instituição, reforçar a mobilização de recursos para distribuir mais créditos e refinar o principal produto, que é micro-crédito.

“A fase mais difícil de aguentar a instituição, já passamos, agora é relançar no ritmo que a economia do País permitir, ter mais dinheiro a circular na mão de pessoas, desenvolver as suas actividades e mais pessoas a pedir crédito”, afirmou.

Em 2021, segundo Jacinto Santos, foi feito um trabalho de educação financeira e o “que já estava no plano estratégico, é a mobilização de poupança de sócio” e, em 2022, vão retomar “com mais força”.

De acordo com o responsável, para ser mais rentável, a organização tem que reduzir o tempo de reembolso e, ao mesmo tempo, diversificar a fonte de financiamento, intensificar a conta poupança dos sócios, captar depósito de clientes e desenvolver a experiência iniciada em 2021, de criação de grupo de poupança mútuo que ajuda aumentar receitas e ter mais segurança na distribuição de crédito.

“Temos que continuar a afinar todos os instrumentos de governança, investir na capacitação de colaboradores, ter mais polivalência para adaptarmos novos tempos, porque a incerteza é muita e temos que fazer uma gestão prudente para a sustentabilidade da instituição e no momento certo dar o salto necessário para expansão de negócio”, frisou.

A Citi-coop tem quase 500 clientes activos, sendo que mesmo reduzindo o número de concessão de crédito em 2021, conseguiu distribuir quase 200 créditos, “dentro das dificuldades ultrapassadas, apesar de não estar de acordo com a metas traçadas no plano de negócio”, disse, indicando que foram buscar no sistema 15 mil contos que os permitiu distribuir esses créditos em 2021.

Da mesma forma, foram buscar também no sistema, um “crédito vantajoso” que permitiu responder a necessidade de financiamento das mulheres vítimas de cheias no mercado de Sucupira.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us