Produtos Amupal podem chegar à ilha do Sal através da marca “Mãos de Cabo Verde” 

Os produtos transformados pela Associação das Mulheres do Planalto Leste, Santo Antão, como doces e licores, podem chegar ao mercado turístico da ilha do Sal, dentro de pouco tempo, através da marca “Mãos de Cabo Verde”.

Uma delegação do projeto “Djunta mo Art”, ligada à marca “Mãos de Cabo Verde”, esteve, nos últimos dias, em Santo Antão para avaliar a possibilidade de tanto os produtos da Amupal como da cooperativa das mulheres empreendedoras do Porto Novo, com corte e costura e panos de terra, passarem a ser comercializados no Sal.

De acordo com uma nota emitida pelos promotores, a marca “Mãos de Cabo Verde” representa “o artesanato genuinamente cabo-verdiano” e foi criada no âmbito do projeto “Recuperação da produção do artesanato de qualidade das mulheres como uma forma de empoderamento e desenvolvimento dos sectores mais vulneráveis”.

Este projeto é co-financiado pela União Europeia e implementado pela Organização das Mulheres de Cabo Verde (OMCV) e pela organização não-governamental italiana ‘Persone Come Noi Onlus’.

Tanto a Amupal como a Cooperativa das Mulheres Empreendedoras do Porto Novo têm enfrentado o problema de mercado, que poderá ser atenuado com a possibilidade de colocar os seus produtos na ilha turística do Sal.

A marca “Mãos de Cabo Verde” é uma iniciativa da OMCV com o objetivo de facilitar a comercialização de produtos artesanais fabricados pelas mulheres artesãs de Cabo Verde, promovendo a produção e comercialização dos produtos artesanais locais.

No passado mês de Junho, os produtos Amupal estiveram patentes numa exposição a bordo do navio Chiquinho, que faz a ligação marítima entre Santo Antão e São Vicente.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest