Ritmo de crescimento económico continuou a acelerar no segundo trimestre de 2022, diz INE

O ritmo de crescimento económico continuou a acelerar no segundo trimestre de 2022, indicando que o clima de negócios em Cabo Verde é favorável, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com os resultados do inquérito de conjuntura aos agentes económicos divulgados hoje, o turismo, o comércio em feira, a indústria transformadora e transportes e serviços auxiliares aos transportes são os sectores cujo indicador de confiança manteve com tendência ascendente e a conjuntura foi favorável, com exceção da indústria transformadora.

A nível do turismo o INE assinala que, de acordo com os resultados obtidos no segundo trimestre de 2022, o indicador de confiança manteve a tendência ascendente dos últimos trimestres, situando-se acima da média da série.

“A conjuntura no sector é favorável. Observa-se ainda, que o indicador evoluiu positivamente face ao trimestre homólogo”, adiantou, indicando, entretanto, que as dificuldades financeiras e insuficiência da procura foram apontados como os principais obstáculos ao desenvolvimento normal da atividade das empresas no período de referência.

A mesma situação foi encontrada no sector dos transportes e serviços auxiliares de transportes, com o indicador de confiança a situar-se igualmente acima da média da série, apesar das insuficiências da procura e outros fatores.

No comércio em feira e na indústria transformadora foi registada igualmente uma evolução positiva relativamente ao mesmo período de 2021 e face ao trimestre anterior.

Entretanto, no sector da indústria transformadora a conjuntura é desfavorável com os inquiridos a apontarem que as principais causas das dificuldades sentidas pelos empresários prendem-se com elevado absentismo do pessoal ao serviço e equipamentos insuficientes, a falta de matérias-primas.

Situação desfavorável também foi registada a nível do sector da construção civil com o indicador de confiança a continuar com a tendência descendente do último trimestre, e situando-se abaixo da média da série.

Os empresários indicaram que as dificuldades financeiras, a falta de materiais e a insuficiência da procura foram os principais constrangimentos do sector no decorrer do segundo trimestre de 2022.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us