São Vicente: “Nôs Ferry Mar d’Canal” inicia viagens na sexta-feira no cumprimento da lei”, diz sócio maioritário

A Companhia Marítima Santo Antão e São Vicente, proprietária do navio “Nôs Ferry Mar d’ Canal”, anunciou esta quarta-feira, 09, que a embarcação inicia as viagens na sexta-feira, não à revelia de qualquer instituição, mas no cumprimento da lei.

Segundo o sócio maioritário da companhia Vladmir Ferreira, que falava durante a apresentação do navio que vai operar na linha marítima entre a duas ilhas, “o Instituto Marítimo e Portuário (IMP) interpretou mal e cometeu um erro porque fundamentou o cancelamento da licença do barco ao abrigo do Código Marítimo de 2010”.

“Fizeram uma leitura ligeira da coisa, e nós não estamos à revelia de nada. Estamos a cumprir a lei e vamos seguir porque estamos considerados com licença temporária. O parágrafo 7 º da lei n º 41/ 2019 diz que as companhias actuais têm dois anos para completar os requisitos de saída e o IMP cometeu um erro porque fundamentou o cancelamento no Código Marítimo de 2010”, explicou Vladmir Ferreira, também conhecido por Vlu.

Segundo a mesma fonte, IMP enganou-se, porque a lei n º 41/ 2019 é subsequente ao Código Marítimo de 2010, pelo que, alegou, para cancelar a licença a autoridade marítima tinha que apoiar na lei de 2019.Vladmir Ferreira lembrou que a referida lei de 2019 saiu a 24 de Setembro e o IMP enviou a nota de cancelamento de licença a 27 de Novembro, mas deveriam esperar os dois anos.

Conforme o sócio maioritário, ainda na mesma lei, o primeiro parágrafo do artigo 5 º da de 2019 informa que quando uma companhia não está em actividade por imobilização técnica, caso do Mar de Canal, ela não tem a obrigatoriedade de estar a navegar nem de cumprir o seu papel de transporte marítimo.

Questionado como foi o processo de remodelação do navio até chegar a esta fase, o responsável afirmou que “os dois anos de remodelação foram desgastantes”, apesar de, no princípio, ter tido “uma grande espectativa”.

Mas mostrou-se “satisfeito” por considerar que fizeram “um grande trabalho para fazer do Mar d’Canal o melhor navio a nível de cabotagem nacional, neste momento”.

Instado sobre o que de diferente o barco vai proporcionar aos passageiros, Vladmir Ferreira revelou que “o navio tem um salão que nenhum barco do País teve, vai ter um serviço melhor e o navio agora é de Cabo Verde”.

“Antes, era um navio de espanhóis e agora é nosso. E é por ser nosso é que deveríamos acarinhá-lo. Mas, há pessoas nas repartições do Estado que não têm a percepção da coisa, eles esquecem-se que estão a servir o Estado de Cabo Verde e não os amigos. Fazem coisas erradas, mas o Mar d´ Canal vai continuar a servir São Vicente e Santo Antão agora melhor”, prometeu.

Segundo Vladmir Ferreira, a plataforma para venda de passagens será aberta nesta quinta-feira e o barco fará quatro viagens diárias a partir da sexta-feira.

A ideia, explicou, é “sair de São Vicente às 06:00 e voltar de Santo Antão às 8:00. Também vai viajar à noite, saindo de São Vicente às 19 e de Santo Antão às 21:00, para dar a hipóteses às pessoas de passarem um dia inteiro em Santo Antão e regressar tranquilamente à São Vicente”.

O barco terá capacidade para transportar 450 passageiros e 42 viaturas e o preço das passagens será acessível.

“Não precisamos afrontar as pessoas de Santo Antão e de São Vicente para funcionar. Eu me meti neste projecto não porque sonhei alguma vez ter um navio. Entrei, precisamente, porque se não tiver concorrência nesta linha tudo vai subir e as pessoas vão chorar. A concorrência é fundamental e o Mar d ´ Canal está aqui para ajudar a vida das pessoas, estar equilibrado e teremos preços normais”, assegurou.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest