Siacsa realiza sua 8ª Assembleia Geral com foco na justiça salarial e dignidade para os trabalhadores

O Sindicato da Indústria Geral Alimentação Construção Civil e Afins (Siacsa) realiza a 30 deste mês, na Praia, a sua 8ª Assembleia Geral, com foco na justiça salarial em Cabo Verde e mais direitos e dignidade para os trabalhadores.

A informação foi avançada à Inforpress pelo líder daquele sindicato, Gilberto Lima, segundo o qual esta Assembleia Geral (AG), que vai decorrer na Biblioteca Nacional, coincide com a comemoração dos 25 anos de existência da organização e servirá também para preparar o Congresso do Siacsa, que deverá acontecer em 2024.

Avançou ainda que o lema será justiça salarial em Cabo Verde, mais direitos e melhor dignidade para todas as classes de trabalhadores no País.

“Este lema foi bem pensado, visto que muitas coisas aconteceram dentro do quadro de pandemia, o que obrigou os trabalhadores, para além das perdas que tinham derivado da covid-19, nomeadamente a redução salarial e tempo de trabalho, a depararem-se também com a perda do poder de compra de bens de primeira necessidade”, assinalou.

Acrescentou que tudo isso aconteceu devido ao aumento do petróleo e derivados a nível internacional, com impactos “quase que insuportáveis” no arquipélago, mas, afiançou, não houve também medidas assertivas para aumentar o salário dos trabalhadores.

“Entendemos que já era altura do Governo discutir a situação com os sindicatos e procurar uma solução para melhorar as condições dos trabalhadores em Cabo Verde”, advertiu.

De acordo com Gilberto Lima, ainda no quadro da pandemia, os sindicatos foram dos mais prejudicados, porque passaram a receber o valor muito inferior das quotas, ou seja, de 100 por cento (%) para 35%, devido à redução salarial dos trabalhadores com o ‘lay off’.

“Outra questão que vamos discutir tem a ver com os incentivos sindicais, que serviam para apoiar essas organizações por forma a garantir a sustentabilidade das mesmas, dando mais condições aos sindicatos de lutarem pelos direitos dos trabalhadores.

Por outro lado, fez uma retrospectiva sobre os 25 anos da criação do Siacsa, revelando que a organização começou a angariar associados na ilha de Santiago, tendo depois se espalhado pelas ilhas.

O dirigente sindical sublinhou ainda que o Siacsa “é o único” sindicato com os congressos e assembleias gerais em dia, cumprindo “escrupulosamente” seus estatutos.

Nesta linha, disse que espera que a AG seja “satisfatória”, pois todos querem que haja sempre o factor comum em primeiro lugar, que é a luta para melhores condições a todos os trabalhadores cabo-verdianos.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest