Educação Física: Professores defendem introdução da natação e criação de uma piscina municipal

A introdução da natação nas aulas de Educação Física no país “é importante”, mas para isso seria preciso a criação de uma piscina municipal já que o mar que circunda as ilhas é “perigoso e com surpresas constantes”.

A afirmação é de alguns dos professores de Educação Física entrevistados pela Inforpress, na Praia, sobre a importância de se introduzir no currículo desta disciplina o módulo natação, visto que saber nadar é uma questão de sobrevivência para a humanidade que pode ser utilizado para alimentar-se ou até mesmo fugir de predadores.

Neste processo, o professor de Educação Física do Liceu Pedro Gomes, Luís Osório, que considera “importante” a introdução deste módulo no currículo da disciplina, considera que o perigo que existe na prática da natação nas águas de Cabo Verde é “muito maior” devido à “insegurança” gerada pelas correntes fortes que caracteriza o mar do atlântico.

“O mar em Cabo Verde muda de direção constantemente e pode converter-se, em questões de segundo, em perigo. Seria ideal que antes de se pensar nisso se pudesse construir uma piscina municipal para que a prática de natação fosse oportunidade de aprender e desenvolver-se habilidades motoras fundamentais e especializadas”, diz.

Luís Osório que, também, treina a seleção de remo de Cabo Verde na praia da Gamboa, na cidade da Praia, assegura que é “muito complicado” fazer aulas de natação sem condições, e aponta como “necessidades urgentes” para esta prática um barco de salvamento e salva-vidas.

Defende ainda que a introdução desta modalidade seria “marcante” para o desenvolvimento da natação no país e pelo resultado que concede aos praticantes com a agilidade, força e velocidade, dependendo da maneira como o ensino-aprendizagem é aplicado.

Já para João José Ferreira, professor de Educação Física no Liceu Cónego Jacinto, na Várzea, seria “muito bom” que a natação fosse introduzida na disciplina, mas para isso admite a necessidade de se vencer desafios para se conseguir e consolidar, nomeadamente, no campo de formação contínua para os educadores da área.

“A Educação Física é uma disciplina em que todos quando vão fazer a licenciatura têm de saber natação e isso é exigido na prova de acesso.

É importante porque a natação é uma prova de vitalidade, é um dos desportos mais completos”, sustenta, sublinhando que para a introdução da natação seria necessária criação de condições.

Por este motivo defende a criação de uma piscina municipal, pois, sustenta que a prática e o ensinamento da modalidade no mar “é difícil”.

Por seu turno, Gamal Mascarenhas Monteiro, professor de Educação Física na Escola Cesaltina Ramos adianta que a natação está incluída no conteúdo da educação física escolar, mas que para trabalhá-la “não é uma tarefa fácil”, já que não se dispõe de uma piscina municipal para a realização das aulas.

Este professor admite ainda que não se aventura a levar os alunos ao mar para a prática de natação, não só pela insegurança do mar, mas também pela “indisciplina dos alunos que não obedecem”.

Apesar disso, há outros que defendem que o módulo natação deveria ser incluído na vida educacional da criança desde a educação infantil, de uma forma lúdica e recreativa, sem regras e pressões, porém com as técnicas, para uma adaptação ao meio líquido.

A natação é considerada “fundamental e importante” na disciplina da Educação Física, podendo até ser uma das escolhas extracurriculares por levar os alunos a desenvolver diversos fatores tanto em habilidades motoras como na questão de estratégias elaboradas em que possam vivenciar de forma lúdica.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest