Electricidade: As três empresas ONSEC, EPEC e EDEC já estão em funcionamento

As novas empresas foram criadas no âmbito da estratégia do atual governo de reestruturar o setor elétrico.

Com a extinção da Electra Norte e Sul, três novas empresas de energia entraram em funcionamento a partir desta segunda-feira, 1 de julho,  em Cabo Verde – a ONSEC, a EPEC e a EDEC. A informação foi avançada ontem pelo Conselho de Administração das mesmas.

Com sede no Mindelo, a EPEC (Empresa de Produção de Eletricidade de Cabo Verde), S.A., foi criada para a produção de eletricidade em todo o território nacional.

Também com sede no Mindelo, a EDEC, S.A (Empresa de Distribuição de Eletricidade de Cabo Verde) foi criada para distribuir e comercializar eletricidade em todo o território nacional.

Já ONSEC, S.A (Operador Nacional do Sistema Elétrico de Cabo Verde) tem sede na Praia e foi criada para controlar todas as operações do sistema elétrico em todo o território nacional.

Segundo comunicado, as três empresas foram criadas no âmbito da estratégia do Governo de reestruturar o setor elétrico, sendo um passo crucial para a modernização, eficiência e excelência do serviço de eletricidade no país.

“Nós acreditamos que esse figurino de especialização, mais transparente, com uma nova abordagem de gestão, permite também uma melhor informação para a regulação de todo o sistema eléctrico e proporciona ganhos de eficiência”, afirmou em finais de maio, o  ministro da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Monteiro, citado pela Inforpress.

O titular da pasta acrescentou que no futuro a EPEC e EDEC serão privatizadas, enquanto “a ONSEC continuará como empresa pública, já que, no fundo, o “coração” do sistema eléctrico.”

As três empresas também passam a contar com um único Conselho de Administração liderado por Luís Teixeira que se mantém como PCA, Neusa Lima que transita igualmente do conselho da anterior empresa, os administradores Osvaldino Lopes e Antão Cruz e Delmira Sousa Veiga também integra o CA, como Administradora não Executiva. Os órgãos sociais foram eleitos pelos acionistas das três empresas que estiveram reunidos em Assembleia Geral a 21 de junho.

 

Segundo o jornal Expresso das Ilhas, a administração da ELECTRA explicou que os trabalhadores serão reafectados às novas empresas. “Os funcionários colocados nas actuais direcções de produção Norte e Sul serão transferidos para a EPEC. A EDEC receberá aqueles que trabalham nas direcções de distribuição, comercialização, técnico-comercial e perdas. A ONSEC herdará o quadro de pessoal da Unidade de Despacho de Sistemas Eléctricos. Os trabalhadores dos serviços partilhados da ELECTRA S.A. permanecerão transitoriamente nesta empresa, até serem reafectados.”

Segundo a agência Lusa, com um capital social de 1,6 mil milhões de escudos (14,3 milhões de euros), a Electra tem cerca de 200 mil clientes e 826 trabalhadores. A estrutura acionista é composta pelo Estado (77,7%), Instituto Nacional de Previdência Social (INPS – 16,6%) e os municípios (5,7%). 

Balai Notícias

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest