Embaixador em Espanha observa evolução da comunidade cabo-verdiana e destaca desafios e oportunidades

O embaixador de Cabo Verde em Espanha, José Eduardo Silva, partilhou as suas observações sobre a evolução da comunidade cabo-verdiana no país, e destacou desafios e oportunidades à medida que a população cresce e se diversifica.

O embaixador reconheceu a complexidade de compreender completamente a realidade vivida pela comunidade em tão pouco tempo de mandato [desde Outubro de 2023], mas ressaltou o “progresso notável” nos últimos anos, notando que a comunidade cabo-verdiana em Espanha possui uma base própria, com uma “derivação significativa” após a re-imigração de Portugal.

Actualmente, os registos consulares já contabilizam sete mil inscritos, mas o embaixador sugeriu que o número real pode ultrapassar os dez mil, tendo expressado optimismo em relação ao início do processo de recenseamento pelo Ministério das Comunidades, que fornecerá números mais definitivos sobre a comunidade imigrante.

O embaixador destacou a diversidade na imigração cabo-verdiana, com uma “mudança notável” na composição da população, já que inicialmente houve uma re-imigração para níveis mais baixos do mercado de trabalho, mas agora surge uma população residente de segunda geração com um “domínio crescente” em vários sectores laborais.

“Já temos empresários do comércio ou advogados que estão muito bem situados. Portanto, começa a haver também alguma transformação, sobretudo graças à segunda geração, começando a aparecer uma nova leva de cabo-verdianos, que conhece muito melhor o meio, contribuindo para a diversificação e não têm grandes dificuldades económicas”, afirmou o embaixador.

Quanto à distribuição geográfica, José Eduardo Silva indicou que Madrid provavelmente abriga a maior comunidade, destacando o crescimento notável em Parla, mencionado as comunidades mais antigas, como em León, mas ressaltou a atracção das grandes cidades devido à diversidade de oportunidades de emprego.

O embaixador enfatizou a importância de trabalhar em conjunto com associações e autoridades locais para impulsionar o desenvolvimento da comunidade cabo-verdiana em Espanha, elogiando as iniciativas em Parla, onde ideias estão sendo discutidas para fortalecer a relação com a formação e instituições educacionais.

“Esta comunidade de Parla está a tornar-se de facto o principal núcleo, no sentido do número. Mas é verdade que as outras comunidades são mais estruturadas, mais coesas, mais formatadas, porque são comunidades que já têm muitos anos”, referiu.

O embaixador expressou a convicção de que, apesar dos desafios económicos presentes em alguns sectores da comunidade, o trabalho conjunto com associações e autoridades locais continuará a moldar e fortalecer a comunidade cabo-verdiana em Espanha.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest