Escola de Formação Cristã coloca no mercado primeiros professores especializados em educação moral e religiosa

 A Escola de Formação Cristã coloca no mercado este ano, os primeiros professores especializados em Educação Moral e Religiosa Católica, adiantou à Inforpress o diretor da escola, o padre José Eduardo Afonso.

O curso, de validade canónica e não conferente de graus, arrancou em 2020, com o objetivo de preparar os docentes para lecionar a disciplina introduzida no currículo escolar em 2019, em Cabo Verde, ao abrigo do acordo entre o Estado de Cabo Verde e Santa Sé.

Ao todo são pouco mais de 40 formandos das ilhas de Santiago e São Vicente que conseguiram concluir o curso e que agora estão aptos para lecionar a disciplina nas escolas públicas e religiosas, depois de três anos de aprendizado e de partilha de conhecimentos.

“Logo que iniciamos as aulas presenciais veio a pandemia e mudamos da modalidade presencial para a modalidade e-learning. Foram três anos a preparar para estarem aptos para o mercado do trabalho, sobretudo a nível da educação. No segundo ano nós reunimos todos de Santiago e São Vicente de forma presencial, mas depois continuamos com as aulas à distância” explicou.

Apesar do curso de especialização não ter graus, o diretor da escola prevê que os formandos não irão ter problemas com a sua integração, já que a condição para o ingresso para o curso era ter uma licenciatura.

“Curiosamente este ano o Ministério da Educação abriu o concurso para recrutar professores para a disciplina de educação moral e religiosa católica e a esmagadora maioria dos que concorrem e passaram são os nossos alunos que estão a terminar este ano”, disse o padre José Eduardo Afonso.

“Para nós é uma bênção e a sensação com que ficamos é de dever cumprido e de termos colaborado para prepararmos homens, chefes-de-família e profissionais altamente competentes para ajudar as Dioceses e o Estado de Cabo Verde na implementação deste projeto que é fruto do acordo internacional entre o Estado de Cabo Verde e o Estado de Santa Sé”, salientou.

A disciplina de educação moral e religiosa católica foi introduzida no currículo escolar em Cabo Verde em 2019 de modo experimental em 13 escolas piloto no País e nas escolas católicas, sendo que a mesma devia merecer uma avaliação para o seu alargamento aos demais estabelecimentos de ensino do arquipélago.

Segundo o Ministério da Educação, nenhum aluno é obrigado a tomar parte nas aulas de educação moral e religiosa. A presença nessas aulas só acontece mediante a autorização dos pais e/ou encarregados de educação.

Entretanto, a adesão de pais católicos e não católicos tem agradado as duas Dioceses de Santiago e do Mindelo, conforme informações veiculadas em Fevereiro pela Rádio Maria.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us