Estado vai assumir totalidade dos riscos e garantias para ideias de negócio baseadas na economia digital, diz ministro

Olavo Correia fez o anúncio hoje, no Mindelo, ao presidir à abertura do workshop igrpweb Open Source organizado pelo Núcleo Operacional da Sociedade de Informação (NOSi).

Conforme o ministro, o programa deverá ser denominado Banco de Investimento para os Jovens e já está a ser desenvolvido em parceria com o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e deverá ser levado para o Conselho de Ministros e constar do Orçamento do Estado de 2023.

O Estado, ajuntou, vai assumir a totalidade da garantia e do risco para que o jovem possa ter acesso ao financiamento “desde que os projetos sejam bem montados, bem organizados e dê garantias que vai gerir o projeto com responsabilidade”.

A ideia, asseverou Olavo Correia, é efetivar uma instituição piloto em Cabo Verde para estar focado na criação de oportunidades para a camada juvenil, particularmente na área digital, que, acredita ser o “acelerador” das demais atividades económicas.

Isto porque, advertiu, é preciso olhar para Cabo Verde como uma “nação digital”, que pode ter “um mundo de oportunidades sem fronteiras”.

Daí, asseverou, é obrigação do Estado criar as condições para que “os dados movam, mas, não as pessoas e as empresas”.

“O princípio é, os dados devem mover-se com segurança, mas, os cidadãos não, as tecnologias e as equipas que trabalham nessas áreas devem garantir que isso aconteça”, advogou, com a ideia de o Governo criar medidas para capturar dados, compartilhar e garantir interoperabilidade e a inter-identidade digital.

Tudo isso, para focar o serviço no cidadão e que este tenha uma relação `self-service´ com os serviços públicos.

Olavo Correia apontou como outros dos pontos ser “ousado e pensar em grande”, para que em 2030 Cabo Verde possa ser um País “mais de 80 por cento (%) digital”.

A transformação digital, conforme o ministro, também tem de ser vista como um desafio de lideranças ao nível do Governo central e municipal e das empresas e ainda permitir a inclusão digital.

O presidente do NOSi, Carlos Pina, por seu lado, reiterou a necessidade da estratégia da transformação digital passar pelas academias e que estas “venham, assumam, apropriem-se e transformem o igrpweb Open Source na principal marca digital do País”.

“Além, de (igrpweb) cumprir todos os padrões de segurança, é um produto vendável, exportável”, assegurou aquele responsável, para quem esta é uma “grande oportunidade para exportar produtos de excelência”.

A plataforma igrpweb open source tem como propósito fomentar o empreendedorismo, para possibilitar aos empresários, `startups´, jovens e qualquer cidadão desenvolver e potenciar digitalmente uma ideia de negócio ou um negócio já existente, de “forma simples, rápida e segura”.

Depois de presidir à abertura do workshop, o ministro Olavo Correia visitou o Data Center do Mindelo, instalado em Ribeira de Julião. Logo à tarde, preside à inauguração do Centro de Inovação do NOSi, no Mindelo.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest