EUA: Senador questiona ajuda ao Ruanda devido aos direitos humanos e papel no Congo

O presidente da Comissão de Relações Externas do Senado dos EUA disse que iria suspender a assistência dos EUA ao Ruanda em matéria de segurança devido às preocupações sobre o historial e papel do governo ruandês no conflito na República Democrática do Congo.

Numa carta ao Secretário de Estado norte-americano Antony Blinken, o Senador Robert Menendez apelou a uma revisão abrangente da política norte-americana em relação ao Ruanda.

Menendez disse que começaria por suspender vários milhões de dólares em apoio às forças de manutenção da paz ruandesas que participam em missões da ONU, de acordo com a carta, que foi divulgada à comunicação social e que o seu gabinete confirmou ser autêntico. Um adiamento é um procedimento do Senado que impede que uma moção votada.

Menendez disse temer que o apoio dos EUA ao exército ruandês enquanto este estiver destacado para o Congo e a apoiar os rebeldes envie “um sinal preocupante que os EUA aprovem tacitamente tais acções”.

O grupo rebelde M23 iniciou uma grande ofensiva nas zonas fronteiriças orientais do Congo com o Ruanda no final de Março. O Congo acusou o Ruanda de apoiar o M23, o que Kigali nega.

Os Estados Unidos atribuíram mais de 147 milhões de dólares em assistência estrangeira ao Ruanda em 2021, o que o torna o maior doador bilateral do Ruanda.

Menendez também citou o que disse serem acusações credíveis de que o governo ruandês estava a amordaçar os críticos em casa e a visar dissidentes que viviam fora do país.

O Departamento de Estado norte-americano revê as suas políticas em resposta aos acontecimentos no terreno e consulta de perto o Congresso sobre a questão da ajuda ao Ruanda, disse na segunda-feira o porta-voz do departamento, Ned Price.

“Já dissemos anteriormente que estamos preocupados com as crescentes tensões entre a RDC e o Ruanda”, disse Price a uma conferência de imprensa regular, exortando ambas as partes a exercerem contenção e a empenharem-se no diálogo.

Um porta-voz do governo ruandês não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest