FC Porto campeão: Festa em Cabo Verde ao som de “Os filhos do Dragão” e apelo a Pinto da Costa

Os cabo-verdianos festejaram no sábado o 30.º título de campeão português de futebol do FC Porto na cidade da Praia, ao som de “Os filhos do Dragão”, e pediram a visita de Pinto da Costa ao país.

Mal o jogo entre os portistas e o Benfica terminou no Estádio da Luz, com a vitória do FC Porto por 1-0, começaram-se a ouvir gritos e buzinões de carros e motos pelas ruas da cidade da Praia, com alguns adeptos a exibir orgulhosamente as camisolas do agora campeão nacional e a juntarem-se em bares e pontos habituais de festejos das conquistas dos portistas.

Um dos locais foi em Terra Branca, em frente a casa de Vitalino Vieira, que içou as bandeiras de Cabo Verde e do FC Porto na varanda, onde se escutava a música “Os filhos do Dragão”, cantada em uníssono por pouco mais de uma dezena de adeptos portistas.

“Devíamos ter ganho há muito tempo, não conseguimos porque houve alguns descuidos na venda de jogadores, mas, mesmo assim, ultrapassámos os obstáculos e recuperamos”, afirmou o portista, que elogiou os jogadores e disse que desta vez o treinador esteve melhor.

E engrossou ainda mais a voz para expressar a alegria de ter ganho o título no estádio do Benfica, o maior rival. “Nunca o FC Porto perdeu no Estádio da Luz, eu sou contra o Benfica, tínhamos que ganhar no Estádio da Luz”, gritou.

Depois da Terra Branca, a festa seguiu com outro grupo de pouco mais de uma dezena de adeptos na zona de Dinós, em Achada de Santo António, também ao som de “Os filhos do Dragão”, apreciado por José Carlos, mais conhecido por Baia.

“Sempre queríamos ganhar este título no Estádio da Luz, a nossa ‘casa’, onde fazemos festa sempre”, disse o portista, de 48 anos, para quem o que foi mais determinante na caminhada dos ‘dragões’ foi o trabalho do Sérgio Conceição.

“Desde que entrou no FC Porto, recuperou a mística que já tinha acabado com Lopetegui e Nuno Espírito Santo. Conseguiu trazer a mística, porque é um filho da casa, mostrou o que é ser FC Porto. Merece uma salva de palmas”, pediu Baia, que não quer parar por aqui, pedindo já a ‘dobradinha’ com a Taça de Portugal e depois a Supertaça.

Em Quebra Canela, outro dos pontos habituais para os festejos das conquistas do FC Porto, um grupo de amigos grita bem alto “é campeão”, ao mesmo tempo que todos exibem as camisolas e cachecóis do seu clube e regam as gargantas com vinho.

“É uma alegria enorme. É um momento de muita alegria festejar depois de um ano sem ganhar nada, e da forma como foi, na casa do Benfica”, disse o porta-voz do grupo, Adilson Cabral, que ao fundo ouve um pedido de um colega: uma casa do FC Porto na Praia e uma visita do presidente, Jorge Nuno Pinto da Costa.

“Primeiro, queremos ter o nosso presidente aqui na cidade da Praia, porque aqui há muitos portistas, seria um prazer enorme receber o nosso presidente e, futuramente, pensar numa casa do FC Porto”, pediu o praiense, garantindo que a festa vai ser até de madrugada dos portistas, que em Cabo Verde são em menor número que, por exemplo, os adeptos de Benfica e Sporting.

O FC Porto sagrou-se hoje campeão português de futebol pela 30.ª vez, ao vencer em casa do Benfica por 1-0, em jogo da 33.ª e penúltima jornada da I Liga, com um o único golo a ser apontado por Zaidu, aos 90+4 minutos.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us