Governo diz-se “comprometido e alinhado” na promoção do trabalho digno no país

O ministro do Turismo e Transportes afirmou hoje que o Governo está “comprometido e alinhado” na promoção do trabalho digno, porquanto o emprego produtivo, de qualidade e inclusivo permite maior crescimento económico e qualidade de vida dos cabo-verdianos.

Carlos Santos fez estas considerações na abertura do atelier “A declaração tripartida de princípios sobre as empresas multinacionais e o contributo do turismo para o alcance dos objectivos de desenvolvimento sustentável”, a que presidiu, em substituição do ministro de Estado da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social, Fernando Elísio Freire, e que decorrerá durante dois dias na ilha do Sal, num dos hotéis da cidade de Santa Maria.

“O emprego produtivo, seguro, de qualidade e inclusivo afigura-se uma das condições necessárias e essenciais para o maior e melhor crescimento económico do País, para maior e melhor qualidade de vida dos cabo-verdianos e, consequentemente, para a construção de uma sociedade mais justa, igualitária, inclusiva e sustentável”, enfatizou.

O governante ilustrou que o investimento de 20 milhões de euros, provenientes do Fundo do Turismo (FT), no realojamento de aproximadamente duas mil famílias nos bairros de Alto Santa Cruz, no Sal, e bairro da Boa Esperança na Boa Vista, é um “exemplo eloquente” do comprometimento do Governo na criação de condições de vida para os trabalhadores do turismo nas duas ilhas que mais contribuem para o sector.

Carlos Santos sublinhou que, não obstante o contexto nacional e internacional adverso, provocados pela pandemia da covid-19 e agora pela guerra na Ucrânia, com impactos sociais e económicos “graves”, os resultados alcançados até à presente data no âmbito de trabalho digno são “fortemente encorajadores”.

“Quer a nível dos direitos dos trabalhadores, da justiça, igualdade e equidade no ambiente laboral, quer a nível do alargamento do sistema da protecção social, são fortemente encorajadores e os ganhos incentivam-nos a continuar neste rumo e a reconhecer que o processo iniciado é de todo irreversível”, frisou.

O governante concluiu referindo que a temática em abordagem é de “suma importância” para o Governo de Cabo Verde, para os parceiros internacionais, operadores turísticos, profissionais do turismo e todos os outros atores do sector, especialmente os com interesse e a laborarem nesta ilha do Sal.

Por sua vez, o diretor do Escritório de Dakar da OIT, Dramane Haidara considerou que esta declaração da OIT, sobre as Empresas Multinacionais, fornece diretrizes que incentivam as empresas multinacionais a contribuir, positivamente, para o progresso económico e social, para a realização do trabalho para todos, bem como para mitigar e resolver as dificuldades que as suas diversas operações podem causar.

“Durante esses dois dias de diálogo vocês terão a oportunidade de identificar acções prioritárias para que o sector turístico possa atingir todo o seu potencial e contribuir para a realização de um trabalho decente em Cabo Verde”, referiu.

Para o responsável, este é o início de uma reflexão e de uma nova etapa no caminho que leva Cabo Verde aos objectivos nacionais da agenda de trabalho decente e, garantindo que a OIT estará sempre ao seu lado para acompanhar todos os seus esforços pelo turismo responsável e sustentável no País.

Considerando que o turismo é um “importante motor” de desenvolvimento socioeconómico inclusivo, apresentando um potencial significativo para a criação de empresas e emprego, a adida de Cooperação da União Europeia em Cabo Verde, Isaura Ramos, disse entender que este sector enfrenta desafios em torno do trabalho digno.

“É necessário dar resposta para aproveitar o máximo o seu potencial de desenvolvimento económico e a criação de emprego e de crescimento sustentável e inclusivo”, apontou, defendendo a necessidade de continuar a desenvolver esforços no sentido de facilitar a criação de um ambiente de negócio favorável, que atrai investimento para o desenvolvimento sustentável das empresas e de melhorar as condições de trabalho e de proteção dos trabalhadores.

 

Inforpress

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest