Governo vai investir 11 mil contos para criação de emprego público na Ribeira Grande de Santiago

 O Governo vai disponibilizar ao município de Ribeira Grande de Santiago 11 mil contos para criação de emprego público de modo a garantir algum rendimento às famílias mais vulneráveis e mitigar os efeitos da crise atual.

O anúncio foi feito pelo ministro da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social, Fernando Elísio Freire, esta manhã, na Cidade Velha, depois do encontro que manteve com o autarca local, onde esteve sobre a mesa a situação social do País e as medidas de mitigação para minimizar os efeitos da crise.

Para o município de Ribeira Grande de Santiago, adiantou que o Governo vai investir 11 mil contos para garantir algum rendimento às famílias mais carenciadas, contemplar mais 75 pessoas do concelho com uma pensão social e alargar o Rendimento Social de Inclusão Emergencial para os próximos seis meses.

Segundo o governante, a assistência alimentar será executada pelas Organizações Não Governamentais (ONG) das igrejas como Cáritas, liga nazarena e liga adventista no sentido de tentar mitigar os efeitos desta crise sobre a população.

Por outro lado, garantiu que em 2023 o Governo irá alargar o programa de inclusão produtiva no município para beneficiar 141 famílias com formação e atividades geradoras de rendimento.

“Também no próximo ano, teremos o desafio enorme de conseguirmos a universalização do pré-escolar neste município através da intensificação da subsidiação do pré-escolar no município para que todas as crianças do pré-escolar possam estar na instituição”, apontou.

Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande Santiago, Nelson Moreira, mostrou-se disponível a colaborar com o Governo na implementação destas medidas de modo a ajudar as famílias mais vulneráveis e tirar o município da lista dos concelhos menos desenvolvidos.

Para tirar o concelho da lista dos mais pobres, o autarca defendeu que a prioridade é empoderar as famílias para terem algum sustento, criação de infraestrutura como a acessibilidade e novo centro de saúde.

Nelson Moreira disse ainda que neste momento cerca de 1000 famílias estão inscritas no Grupo 1 e 2 do Cadastro Social Único.

Inforpress/

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest