Grupo financeiro do Golfo Pérsico com 100% do IIB CV quer negociar compra do capital do BCA

O grupo do Golfo Pérsico com a detenção dos 100% das ações do IIB CV ambiciona negociar a compra do capital do BCA, revelou o presidente do IIB CV, Sohail Sultan, em entrevista ao jornal Negócio.

“A transacção dos 10 por cento (%) do Banco Novo foi concluída há uma semana e agora temos 100%”, afirmou, Sohail Sultan, avançando que a intenção do grupo é vender os 10% adquiridos e abrir o capital social da entidade cabo-verdiana e atrair outros investidores internacionais, bem como investidores locais.

O grupo, que tem bancos no Médio Oriente, África Ocidental e Oriental e nas Caraíbas, explica ainda que na medida em que necessitam de capital adicional em algum momento no futuro, irão considerar emitir mais acções e abrir ainda mais o capital.

“Neste momento não é uma prioridade e todos os requisitos de capital para o banco estão a ser cumpridos pelo grupo ou a ser gerados através do sucesso da operação”, disse, revelando que o grupo gostaria de ter em Cabo Verde accionistas que pudessem apoiar o crescimento e expansão contínuos do banco.

Referiu ainda que o interesse do grupo do Golfo Pérsico para Cabo Verde sofreu alterações em Março de 2023, quando viram preterida a sua proposta de compra de quase 60% do capital do Banco Comercial do Atlântico (BCA) à Caixa Geral de Depósitos (CGD), negócio no qual a instituição financeira pública portuguesa encaixou cerca de 16 milhões de euros.

“Em última análise, caberá aos reguladores determinar se a venda do BCA pela Caixa Geral de Depósitos à Coris é aprovada ou não. Se, por qualquer motivo, isso não acontecer, estamos prontos para participar novamente no processo e esperamos poder ter sucesso na próxima vez”, fez saber, ressaltando que o grupo terá todo o gosto em voltar a interagir com a CGD para ver se existe a possibilidade de a venda ser-lhes feita.

Nesse cenário, o desfecho do BCA e do IIB CV estão traçados: serão fundidos num só.

O IIB Group, reflectindo a evolução do sistema financeiro global, teve um ano de 2023 positivo e com lucro mais alto de sempre: seis milhões de euros, 55% acima do resultado do ano anterior.

Na sua declaração, Sohail Sultan, avançou que o grupo do Bahrein cresceu 10% a 15% em base consolidada face a 2022, isso graças ao desempenho do banco em Cabo Verde.

“Quando comprámos o IIB CV, era um banco problemático. Era o menor banco do país. Até ao final do ano passado, provavelmente seremos, em termos de activos, o terceiro maior banco”, realçou.

Para o conjunto dos bancos do grupo, Sultan prevê um 2024 mais positivo do que o ano passado e um abrandamento em 2025.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest