Guiné-Bissau realiza legislativas antecipadas a 24 de novembro

O Presidente guineense vai marcar legislativas antecipadas para 24 de novembro, assim que regressar de uma visita de Estado de três dias à China que inicia na quarta-feira, anunciou Sissoco Embaló antes da partida.

Quando regressar da visita a Pequim, o chefe de Estado guineense promete fazer as consultas com as forças políticas e marcar as eleições legislativas.

“Quem não concordar pode recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça”, declarou Umaro Sissoco Embaló, antes de embarcar no aeroporto internacional Osvaldo Vieira, em Bissau.

A Assembleia Nacional Popular (ANP) está fechada desde a dissolução decidida pelo Presidente da República, em dezembro de 2023, decisão que tem sido contestada pela coligação PAI-Terra Ranka, por ainda não terem decorrido os 12 meses, fixados pela Constituição, depois das eleições legislativas em que obteve maioria absoluta.

Visita à China

Entre outros membros do Governo de iniciativa presidencial, Embaló será acompanhado à China pelo ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional, Carlos Pinto Pereira.

Na sua primeira visita oficial à China, que decorre até sexta-feira (12.07), o Presidente guineense vai rubricar um acordo quadro geral de cooperação entre Bissau e Pequim, de acordo com fontes governamentais citadas pela Lusa.

A China coopera com a Guiné-Bissau nos domínios da Educação, Saúde, Agricultura, Infraestruturas, Pescas e apoios ao setor da Defesa.

No domínio da Educação, a China fornece anualmente bolsas de estudo ao Governo guineense e ainda disponibiliza, através da embaixada em Bissau, oportunidade de formação aos melhores alunos do país em universidades chinesas.

Na área da Saúde, a China disponibiliza médicos para o hospital de Canchungo, no norte da Guiné-Bissau, e ainda para o Hospital Militar Principal na capital guineense.

No setor das pescas, segundo o Governo guineense, até 2020 existiam cerca de 70 navios de empresas privadas de armadores chineses a operar nas águas da Guiné-Bissau.

A China tem ajudado a Guiné-Bissau na construção de infraestruturas. Os palácios do Governo, da ANP e da Justiça, por exemplo, foram construídos pela cooperação chinesa.

A única autoestrada da Guiné-Bissau, que liga o aeroporto internacional Osvaldo Vieira à localidade de Safim, está a ser construída pela China, num valor de 13,6 milhões de euros.

A visita de Estado de Sissoco Embaló será a segunda de um Presidente guineense à China, após a do falecido ex-Presidente João Bernardo “Nino” Vieira, em junho de 2006.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest