Hamilton responde em português a declaração racista de ex-piloto brasileiro Nelson Piquet

Hamilton responde em português a declaração racista de ex-piloto brasileiro Nelson Piquet

O piloto de Fórmula 1 Lewis Hamilton respondeu hoje na rede social Twitter uma declaração racista do ex-piloto brasileiro Nelson Piquet, que numa entrevista divulgada na segunda-feira, chamou o heptacampeão britânico de “neguinho”.

“Vamos focar em mudar a mentalidade”, escreveu Hamilton em português na sua conta no Twitter.

Único piloto negro na F1, Hamilton é sete vezes campeão mundial e também escreveu, desta vez em inglês, que a forma como Piquet se referiu a si será “mais do que linguagem”.

“Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso desporto. Fui cercado por essas atitudes e alvo a minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação”, acrescentou.

A polémica ocorreu com a publicação de trechos de uma entrevista concedida por Piquet ao jornalista Ricardo Oliveira, em novembro de 2021, em que o ex-piloto brasileiro chama Hamilton de “neguinho” ao comparar os acidentes envolvendo Ayrton Senna e Alain Prost, em 1990, na largada do Grande Prémio do Japão, e o que ocorreu 31 anos depois, no Grande Prémio da Inglaterra entre Hamilton e Max Verstappen.

O trecho da entrevista foi publicado pelo canal Enerto, especializado em automobilismo, e teve repercussão nas redes sociais.

Na sequência da divulgação da declaração de Piquet sobre Hamilton, a FIA divulgou na sua página oficial uma mensagem a condenar “veementemente qualquer linguagem e comportamento racista ou discriminatório, que não tem lugar no desporto ou na sociedade em geral”.

“Manifestamos nossa solidariedade com Lewis Hamilton e apoiamos plenamente o seu compromisso com a igualdade, diversidade e inclusão no desporto motorizado”, acrescentou.

“Linguagem discriminatória ou racista é inaceitável de qualquer forma e não faz parte da sociedade. Lewis é um embaixador incrível do nosso desporto e merece respeito”, defenderam também nas redes sociais os organizadores da F1, considerando: “Seus esforços incansáveis para aumentar a diversidade e a inclusão são uma lição para muitos e algo com o qual estamos comprometidos na F1”.

A equipa automobilística Mercedes também divulgou uma mensagem condenando a declaração de Piquet.

“Condenamos nos termos mais fortes qualquer uso de linguagem racista ou discriminatória de qualquer tipo. Lewis liderou os esforços de nosso desporto para combater o racismo e ele é um verdadeiro campeão da diversidade dentro e fora da pista. Juntos, partilhamos a esperança de um desporto motorizado diversificado e inclinado, e este incidente sublinha a importância fundamental de continuarmos a lutar por um futuro melhor”, defendeu a Mercedes.

A equipa Ferrari, em comunicado nas redes sociais, também criticou o ex-piloto brasileiro.

Dois anos antes, Hamilton criticou os comentários “ignorantes e sem educação” do ex-chefe da F1 Bernie Ecclestone. Hamilton ficou chocado com a afirmação de Ecclestone durante uma entrevista à emissora CNN de que “em muitos casos, os negros são mais racistas” do que os brancos.

Piquet venceu a F1 três vezes na década de 1980 e 23 corridas. A sua filha Kelly Piquet é namorada de Verstappen.

 

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us