Helicóptero com Presidente iraniano a bordo despenha-se no norte do país

Um helicóptero que transportava o Presidente iraniano, Ebrahim Raisi, esteve, este domingo, envolvido num acidente no norte do país, segundo a imprensa local, que refere que o aparelho se terá despenhado.

“Segundo informações não confirmadas, o helicóptero que transportava o Presidente (…) despenhou-se na província do Azerbaijão Oriental”, afirmou a televisão estatal, acrescentando decorrem operações para o localizar em condições meteorológicas adversas, com o registo de chuvas fortes e algum vento.

Citada pelas agências noticiosas internacionais, a televisão estatal avançou que o incidente ocorreu perto de Jolfa, uma cidade na fronteira com o Azerbaijão, cerca de 600 quilómetros a noroeste da capital iraniana, Teerão.

A agência noticiosa oficial IRNA informou que Raissi, a par do ministro dos Negócios Estrangeiros do país, Hossein Amir-Abdollahian, estava entre os passageiros do helicóptero.

“Após o anúncio da queda do helicóptero que transportava o Presidente, foram enviadas equipas de salvamento”, avançou o presidente do Crescente Vermelho, Babak Mahmoud, aos meios de comunicação social iranianos.

Raisi tinha estado no Azerbaijão no início de domingo para inaugurar uma barragem com o homólogo azeri, Ilham Aliyev, naquela que é a terceira barragem construída pelos dois países no rio Aras.

O Irão possui uma variedade de helicópteros no país, mas as sanções internacionais dificultam a obtenção de peças para os mesmos. A sua frota aérea militar também remonta, em grande parte, ao período anterior à Revolução Islâmica de 1979.

Raisi, de 63 anos, é um homem de linha dura que anteriormente dirigiu o poder judicial do país e é caracterizado como um protegido e possível sucessor do líder supremo do Irão, o aiatola Ali Khamenei.

Raisi venceu as eleições presidenciais iranianas de 2021, uma votação que registou a taxa de participação mais baixa da história da República Islâmica.

O responsável é alvo de sanções dos EUA dado o seu envolvimento na execução em massa de milhares de prisioneiros políticos em 1988, no final da guerra Irão-Iraque.

Sob o comando de Raisi, o Irão tem enriquecido urânio a níveis próximos do grau de armamento e dificulta as inspeções internacionais. O país forneceu armamento à Rússia na sua guerra contra a Ucrânia e lançou um ataque maciço com drones e mísseis contra Israel no âmbito da investida militar contra os islamitas palestinianos do Hamas na Faixa de Gaza.

O Irão também tem apoiado os rebeldes Huthis do Iémen e o Hezbollah do Líbano.

Inforpress/Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest