INE: Economia cresceu quase 17% no primeiro trimestre do ano

A economia cresceu quase 17% no primeiro trimestre, após um aumento de 7% em todo o ano de 2021 e de uma recessão de 14,8% em 2020, segundo dados provisórios divulgados hoje pelo INE.

De acordo com o relatório das Contas Nacionais Trimestrais do Instituto Nacional de Estatística (INE), o Produto Interno Bruto (PIB) de Cabo Verde cresceu 16,8% no primeiro trimestre, desempenho que compara com o recuo de 15,2% em termos homólogos, face ao primeiro trimestre de 2021, e com o aumento de 11,9% no último trimestre do ano passado.

“Este acréscimo resultou do aumento do consumo privado e das exportações”, justifica o relatório do INE, num alusão, igualmente, à recuperação na procura turística pelo arquipélago.

O INE destaca ainda que de janeiro a março de 2022 o consumo final teve uma variação homóloga positiva de 20,5% e que o consumo privado aumentou 27,5%. Por outro lado, o consumo público apresentou uma taxa de variação homóloga positiva de 2,7%, em volume, e o investimento registou uma variação homóloga negativa de 24,6%.

A economia cabo-verdiana já tinha crescido 30,6% no segundo trimestre de 2021 e 10,1% no seguinte, segundo o INE.

Globalmente, segundo dados anteriores do INE, a economia cabo-verdiana cresceu 7,0% em 2021, após uma recessão histórica de 14,8% em 2020, devido às consequências da pandemia de covid-19.

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, chegou a admitir em janeiro último um crescimento económico de 7,2% do PIB em Cabo Verde no ano de 2021: “Os cenários que nós traçamos visam atingir em 2021 [um crescimento económico de] 7,2%, assim que fechar as contas saberemos qual o nível. E a previsão de 6% em 2022”.

“Cabo Verde é dos países mais impactados pela crise pandémica. É só ver a contração económica de 14,8% em 2020 para podermos ter uma noção da intensidade e da dimensão desse impacto”, admitiu na altura o primeiro-ministro.

O Governo cabo-verdiano previa um crescimento económico entre 6,5 e 7,5% do PIB em 2021, impulsionada pela retoma da procura turística, que se verificou sobretudo no último trimestre, e de 6% em 2022, entretanto revista para 4% devido às consequências da guerra na Europa.

Cabo Verde enfrenta uma profunda crise económica e financeira, decorrente da forte quebra na procura turística – setor que garante 25% do PIB do arquipélago – desde março de 2020, devido à pandemia de covid-19, agravada nas últimas semanas com a escalada de preços nos combustíveis e produtos alimentares devido à guerra na Ucrânia.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us