Inpharma continua a operar em São Tomé e Príncipe através do processo de compras agrupadas, diz responsável

A diretora-geral da Inpharma, Elisete Lima, disse hoje, na Cidade da Praia, que a instituição continua a operar em São Tomé e Príncipe de forma indirecta, no fornecimento de medicamentos através do processo de compras agrupadas.

A afirmação foi feita em declarações à imprensa, após a visita do presidente Presidente da República de São Tomé e Príncipe, Carlos Vila Nova, às instalações da Inpharma, situada na zona industrial de Tira Chapéu.

As perspetivas são boas, tendo em conta que São Tomé e Príncipe faz parte do grupo dos pequenos Estados insulares em desenvolvimento o que nos permite, através do processo de compras agrupadas, participar indiretamente no fornecimento de medicamentos”, explicou.

No entanto, apontou que esta visita do Presidente são-tomense, Carlos Vila Nova, pode servir para que a Inpharma passe a operar de forma direta em São Tomé e Príncipe.

“Ao escolher a Inpharma como uma das organizações para visitar, demonstrou que a intenção é reforçar esta sinergia que já existe e que vem de longa data”, frisou Elisete Lima, acrescentando que com esta visita houve um “reforço” nas relações no âmbito de medicamentos.

A visita de Carlos Manuel Vila Nova decorre de hoje até quinta-feira, 16, e, para além do tête-à-tête com o seu homólogo cabo-verdiano, por quem foi condecorado, foi acolhido pelo presidente da Assembleia Nacional, Austelino Correia, e deverá receber o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

Deposição de uma coroa de flores no Memorial Amílcar Cabral, cerimónia de entrega das Chaves da Cidade da Praia, visita aos Laboratórios Inpharma, ao Museu da Resistência – Campo de Concentração do Tarrafal, deslocação a Universidade de Santiago em Santa Catarina e visita ao Núcleo Operacional da Sociedade de Informação (NOSi) assinalam ainda a estadia de Carlos Vila Nova na ilha de Santiago.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest