Investimentos feitos na Brava já começaram a alcançar o objectivo final pretendido, diz ministro do Turismo

O ministro do Turismo e Transportes garantiu este sábado, 09, que os investimentos feitos na ilha Brava através do Fundo do Turismo já começaram a alcançar o fim último, nomeadamente os na área da restauração nas zonas.

Carlos Santos, fez esta declaração à imprensa no final da sua visita à ilha Brava que terminou este sábado, 09, realçando que o principal objetivo foi contactar as autoridades locais, organizações não governamentais e o sector privado, mas também visitar as infraestruturas que foram financiadas pelo Fundo do Turismo e discutir com as autoridades locais todos os projetos previstos no programa operacional de onde foram assinados dois contratos-programa que visa requalificar algumas zonas da ilha.

Quanto aos investimentos feitos no âmbito do Fundo do Turismo, este governante realçou que durante a sua visita foi possível constatar que os investimentos feitos com este fundo alimentado pelas taxas turísticas, verificou-se uma transformação das localidades, exemplificando com a requalificação da zona de Furna e Lomba Tantum.

Na Furna, realçou que foi criada uma pedonal, assim como foi criada uma entrada numa rua onde havia lixo e hoje há uma “transformação estonteante” da rua, e na localidade de Lomba Tantum disse ter constatado que diante da requalificação feita, houve um incremento na construção de casas, o que, segundo o governante, significa que a população “está a acreditar” no desenvolvimento.

Igualmente, realçou que já se começa a ter aquilo que é o objetivo último destes tipos de requalificação, que é trazer o investimento turístico nessas localidades, sendo visível investimentos na área da restauração, alojamento local, entre outros, considerando isso um “bom caminho”.

Carlos Santos garantiu que “esse bom caminho” vai ser reforçado, augurando que nos próximos cinco anos haja um bom reforço destes trabalhos e que os dois contratos-programa assinados vão no sentido de conseguir “qualificar melhor o turismo, os caminhos vicinais, os jovens, para poder cada vez mais transformar a Brava num destino turístico apreciado e que esteja no mapa”.

Neste sentido, explicou que o programa operacional tem as suas “várias vertentes”, que não é somente na requalificação da oferta turística, mas também na preparação do país em termos de promoção e publicidade de Cabo Verde lá fora de uma forma diferente daquilo que tinha sido feito até agora, realçando que agora passa a ser feita pelo Governo de Cabo Verde, através do Ministério do Turismo.

“É esta a aposta que se quer fazer nos próximos tempos”, disse o titular da pasta do Turismo, garantindo que “há verbas para isso, numa rubrica dentro do programa que é somente para a promoção do turismo”, justificando que se for aliada a requalificação da oferta com a promoção e com uma boa governação do turismo, sempre com o objetivo de sustentabilidade, nos próximos cinco anos será dado um passo determinante para a Brava e Cabo Verde em geral na área do turismo.

 

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest