José Maria Neves acredita que homólogo do Senegal pode “construir pontes” na CEDEAO

O Presidente da República, José Maria Neves, saudou hoje a designação, no último fim de semana, do Presidente do Senegal para dialogar com os países que anunciaram a saída da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Diomaye Faye foi designado pelos chefes de Estado da CEDEAO, reunidos em Abuja, juntamente com o Presidente do Togo, Faure Gnassingbé.

José Maria Neves acredita que o homólogo senegalês “pode construir pontes e estabelecer compromissos”, em linha com “soluções negociadas” para os conflitos, referiu, numa mensagem na Internet.

O chefe de Estado cabo-verdiano espera que “os constrangimentos vigentes possam vir a ser ultrapassados através do diálogo e em defesa do bem comum”.

O presidente da CEDEAO, o nigeriano Bola Tinubu, nomeou os seus homólogos do Senegal e do Togo para mediarem o regresso do Níger, Burkina Faso e Mali ao bloco económico regional.

Em fevereiro, a organização levantou as sanções que lhes tinha imposto (na sequência de golpes de estado), mas estes países ainda não manifestaram intenção de regressar.

Em sentido oposto, os respetivos líderes militares formalizaram no início do mês a constituição de uma confederação, a Aliança dos Estados do Sahel (AES).

Além dos três países dissidentes, são 12 os Estados-membros da CEDEAO: Benim, Cabo Verde, Costa do Marfim, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Libéria, Nigéria, Serra Leoa, Senegal e Togo.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest