José Maria Neves defende que Estados tudo devem fazer para permitir a imigração

José Maria Neves defende que Estados tudo devem fazer para permitir a imigração

O Presidente da República defendeu hoje, em Lisboa, que os governos e os Estados devem tudo fazer para abrir os canais da mobilidade, permitindo a circulação dos imigrantes, essenciais para responder às necessidades do desenvolvimento.


O Presidente da República defendeu hoje, em Lisboa, que os governos e os Estados devem tudo fazer para abrir os canais da mobilidade, permitindo a circulação dos imigrantes, essenciais para responder às necessidades do desenvolvimento.

“É sempre importante o contributo desses imigrantes, tanto em Portugal como para Cabo Verde”, disse José Maria Neves aos jornalistas, no final de uma reunião com o seu homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa, no seu primeiro dia da visita oficial a Portugal.

Questionado sobre a importância para as economias portuguesa e cabo-verdiana desta circulação de imigrantes, José Maria Neves indicou que os dois países já estão a trabalhar para permitir essa mobilidade para o trabalho.

“Vivemos num mundo cada vez mais interdependente. Hoje, os emigrantes são transmigrantes, vivem em vários Estados ao mesmo tempo, e cabe a nós criar as condições para que haja essa rápida mobilidade para colmatar as necessidades existentes num estado ou criar novas oportunidades em outros estados”, acrescentou.

E revelou que recentemente esteve em Cabo Verde uma missão da Região de Turismo do Algarve, “precisamente para analisar e identificar as necessidades e trabalhar mais de perto com o governo de cabo Verde sobre esta matéria”.

“É uma política muito bem-vinda para responder à demanda da sociedade civil em relação às necessidades de desenvolvimento”, acrescentou.

No final de 2021, um estudo realizado por João Cerejeira, professor da Faculdade de Economia da Universidade do Minho, indicava que a escassez de mão de obra em Portugal pode ser explicada pelos fluxos internacionais de trabalhadores imigrantes, que ficaram “praticamente congelados” devido à pandemia de covid-19.

Já em 2018, o Observatório da Emigração tinha alertado que Portugal “precisa desesperadamente” de imigrantes e que, para resolver o problema de falta de mão-de-obra, devia facilitar a entrada de estrangeiros e fazer campanhas de recrutamento no exterior.

O acordo de mobilidade na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), nomeadamente para a circulação com os objetivos de trabalho e educação, poderá facilitar a resolução do problema da falta de mão de obra em Portugal e do desemprego em Cabo Verde, que se situava nos 14,5% no final de 2021.

José Maria Neves, eleito em outubro de 2022 e primeiro-ministro de Cabo Verde de 2001 a 2016, iniciou hoje a visita de Estado a Portugal, onde estará até domingo, acompanhado pela primeira-dama, Débora Carvalho.


Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest