JPAI considera “extremamente grave” caso dos jovens intoxicados com estupefacientes na Praia

O presidente da Juventude do PAICV mostrou-se preocupado com o consumo excessivo de drogas pesadas no país.

O presidente da Juventude do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (JPAI), Fidel de Pina, considerou neste sábado, 10, “extremamente grave” o caso dos doze jovens do bairro Calabaceira intoxicados com estupefacientes que deram entrada em dois dias no Hospital Universitário Agostinho Neto, na cidade da Praia.

Fidel de Pina reagia assim a uma notícia veiculada nesta sexta-feira, 09, pelo Balai, que dava conta de doze jovens que chegaram, a maioria, em coma e com quadro neurológico grave, com depressão de estado de consciência e falta de ar”.

“Ora esta é uma situação extremamente grave e que deve ser esclarecida imediatamente pelas autoridades competentes! O país não produz este tipo de drogas! Não podemos normalizar esta ocorrência gravíssima! Estamos a falar de jovens que poderiam ter perdido a vida por overdose e o uso de substâncias ou estupefacientes, chamadas drogas adulteradas, que podem facilmente causar situações a saúde e levar à morte”, avança um comunicado de imprensa citando Fidel de Pina.

Segundo a mesma fonte, este acontecimento “muitíssimo grave” só confirma aquilo que a JPAI vem alertando sobre o aumento exponencial de consumo de drogas que parece haver no seio da juventude um pouco por todo o país.
Fidel de Pina alega que as drogas têm destruído a vida de várias famílias e exige que o Governo esclareça aos cabo-verdianos qual tem sido a sua política para prevenção do acesso e o consumo de drogas no país.

O presidente da JPAI frisou ainda que uma das principais causas do aumento da criminalidade, da violência, da delinquência juvenil e dos vulgos ‘’kassubody’’ no país está diretamente ligada ao consumo de drogas.

“Alias conforme os dados, cerca de 60% dos reclusos nas cadeias de Cabo Verde são toxicodependentes! Além de mais, temos uma população reclusa global com alta taxa de reincidência criminal, em que dos cerca de 2200 reclusos, cerca de quase 75% são jovens, cujo 53% têm idades compreendida entre os 16 a 24 anos.”

Perante esta situação, o líder do JPAI exortou o Governo a implementar reformas transversais profundas que visem resultados substanciais, mormente na criação de empregos dignos, na redução da pobreza e pobreza extrema, na obtenção de rendimentos para os jovens, medidas de ocupação, formação e socioeducativas diminuir o número de jovens no mundo das drogas e do crime.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest