Legislativas 2021: António Monteiro quer reduzir custos do Estado e apoiar comunidades

Campanha de UCID em SV

Legislativas 2021: António Monteiro quer reduzir custos do Estado e apoiar comunidades

O candidato da União Cabo-Verdiana Independente e Democrática (UCID) a primeiro-ministro nas legislativas do dia 18 propôs reduzir os custos do Estado e apostar em políticas sociais para comunidades como Ribeira de Vinha e Iraque.
Campanha de UCID em SV

António Monteiro fez estas declarações após contactos com moradores das zonas de Ribeira de Vinha e do Iraque, em São Vicente, que ficam nas proximidades da lixeira municipal na Ribeira de Julião.

Nesta última, os problemas sociais e urbanísticos são “mais gritantes”, apontou, porque “grande parte dos moradores vivem da lixeira” e moram em casas de lata.


Segundo o candidato, reduzir o custo do Estado implica ir buscar uma parte dos recursos no corte das “benesses dos políticos”, desde o Presidente da República, o primeiro-ministro, os ministros, os deputados, os presidentes de câmara e vereadores, e na classe responsável pela administração pública.


Conforme a mesma fonte, na zona do Iraque existem “centenas de jovens que vivem da lixeira” da Ribeira de Julião, procurando materiais ferrosos como cobre, pedaços de bronze e alimentos para porcos.


Um trabalho que, além de colocar em risco a vida dessas pessoas, não lhes possibilita ter um rendimento necessário para assumir os seus compromissos, adiantou.


“São pessoas com fracos recursos, que às vezes para garantirem o mínimo de sobrevivência passam dificuldades. Portanto, é responsabilidade de qualquer governo criar as condições para o efeito”, declarou.


Mas, garantiu que se tiver “o número suficiente de deputados” vai “influenciar a governação pela positiva” e ter uma “postura pró-activa” no sentido de resolver os problemas destas populações.


Uma das primeiras medidas, explicou, será criar as condições para formação desses jovens para que possam ter trabalho e conseguir garantir os rendimentos para eles e para as famílias.


Segundo o político, estando no parlamento, com a “força necessária”, a UCID ainda irá incentivar o Governo a tomar medidas concretas para criar um bairro social digno na zona do Iraque.


Para António Monteiro, “o País tem recursos porque tem um Orçamento do Estado anual à volta dos 71 mil contos e consegue mobilizar recursos junto dos parceiros internacionais”.


Mas o que falta, criticou, “é vontade política, acima de tudo, o sentimento e o coração dos governantes” porque, observou, “governar não é só ter inteligência, governar é uma arte de sentir a dificuldade do outro”.


“Há um desconhecimento total, esquecimento e vergonha por parte dos governantes que, ao invés de se inteirar daquilo que é a realidade cabo-verdiana, preferem fazer como avestruz, metem a cabeça na areia enquanto as pessoas passam por dificuldades tremendas” criticou, apontando que “nem o Governo nem a câmara de São Vicente, que só aparece na zona por altura da campanha, têm a noção exacta de quão difícil é a vida desses cidadãos”.


Além de Ribeira de Vinha e Iraque, António Monteiro esteve na Ribeirinha.


Às legislativas do dia 18 para eleição de 72 deputados em 13 círculos eleitorais, dos quais dez no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP.


PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e três diáspora), e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).


As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD) vencido com maioria absoluta, ao eleger 40 deputados, o PAICV 29 e a UCID três.


Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest