Legislativas 2021/Diáspora: Candidata da UCID promete “transformar” serviços consulares em “verdadeiras Casa do Cidadão”

Cabeça-de-lista da UCID para a Europa

Legislativas 2021/Diáspora: Candidata da UCID promete “transformar” serviços consulares em “verdadeiras Casa do Cidadão”

A cabeça-de-lista da UCID para a Europa, Ana Francisca Soares, disse hoje à Inforpress que o seu partido deseja “reforçar” os serviços consulares e transformá-los em “verdadeiras Casa do Cidadão”.
Cabeça-de-lista da UCID para a Europa

“Pretendemos fazer uma política de união da diáspora cabo-verdiana e não de divisão. Queremos reforçar os serviços consulares, modernizar o atendimento, com vista à diminuição do tempo de demora espera e transformar as representações diplomáticas em verdadeiras casas do cidadão”, reforçou Ana Francisca Soares.

A cabeça-de-lista da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) pelo círculo eleitoral da Europa fez essas considerações em entrevista à Inforpress, via telefone, a partir da Cidade da Praia.


Ana Francisca Soares, que reside em França, informou que, devido ao confinamento nesse país europeu, está a ser “difícil” o contacto com o eleitoral, pelo que as redes sociais têm sido os “meios privilegiados” para o efeito.


“Devido à covid-19 está a ser um pouco difícil fazer contactos físicos [com o eleitorado], mas, felizmente, existem as redes sociais, que temos estado a utilizar como ferramenta para levarmos as nossas propostas até às comunidades”, afirmou a candidata dos democrata cristãos para a Europa.


Uma das prioridades da UCID, segundo Ana Francisca Soares, é “reforçar a ligação entre a acção cultural, a promoção económica e social e as múltiplas instituições de diferentes países de acolhimento”.


“Promoveremos intercâmbio de experiências no que diz respeito, por exemplo, à produção literária e artística na diáspora, a fim de apoiarmos e fomentar o crescimento dos nossos talentos”, indicou.


Sobre investimento, anunciou que o seu partido pretende criar um fundo de solidariedade para que o Estado ajude os emigrantes interessados em Cabo Verde.


“Este fundo pode ser financiado pelo Estado e por alguns emigrantes que estejam em melhores situações económicas”, sugeriu a cabeça-de-lista dos democratas cristãos.


Em relação à Alfândega, prometeu “diminuir os custos e acabar com a burocracia”, a fim de ajudar os cabo-verdianos, porque, ressaltou, “muitos mandam ajudas às famílias e pagam muito caro para o processo de desalfandegamento”.


“Há uma lei sobre a Alfândega, que foi aprovada pelo parlamento, mais ainda não está regulamentada e nós queremos regimentá-la”, afiançou.


A lista da UCID para a Europa é constituída por cinco candidatos, sendo dois efectivos e três suplentes e, segundo Ana Francisca, todos estão envolvidos no sentido de levar as propostas do partido a todas às comunidades cabo-verdianas no círculo eleitoral da Europa e resto do mundo.


Instada se está prevista a deslocação de António Monteiro à Europa, revelou que, neste momento, se está a preparar a participação líder do partido, por via online.


“Pedimos um voto de confiança do povo, pois só assim podermos empreender mudanças que a população tem reclamado como indispensável”, conclui Ana Francisca Soares, lembrando que desde sempre o seu partido “tem lutado em prol dos que mais precisam”.


Ao todo, a nível da diáspora, são eleitos seis deputados, sendo dois para a Europa e resto do mundo, dois para a África e dois para a América.


Às legislativas do dia 18 de Abril para a eleição de 72 deputados em 13 círculos eleitorais, dos quais dez no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP.


PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e os três da diáspora) e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).


As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD) vencido com maioria absoluta, ao eleger 40 deputados, o PAICV 29 e a UCID três.

 

Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest