Legislativas 2021/Diáspora: Candidato do MpD para Europa diz que partido é “confiável e de compromisso”

Cabeça-de-lista do MpD para a Europa

Legislativas 2021/Diáspora: Candidato do MpD para Europa diz que partido é “confiável e de compromisso”

O cabeça-de-lista do MpD para a Europa, Emanuel Barbosa, disse hoje à Inforpress que a candidatura do seu partido tem passado uma mensagem, à diáspora, de que o MpD é um “partido confiável e de compromisso”.
Cabeça-de-lista do MpD para a Europa

“Os compromissos de 2016 foram realizados e temos agora novas propostas que são para dar a continuidade dos ganhos da governação, vertente da integração, da melhoria dos serviços administrativos das nossas embaixadas e dos serviços da administração pública cabo-verdiana, nas alfândegas, portanto, nas várias vertentes que dizem respeito à nossa emigração, afirmou Emanuel Barbosa.

O candidato do Movimento para a Democracia (MpD) para o círculo eleitoral da Europa fez estas considerações, ao ser entrevistado pela Inforpress, a partir da Cidade da Praia, via telefone.


Apesar do contexto “muito complicado” por causa da pandemia da covid-19 que, segundo Emanuel Barbosa, “condiciona o processo de passar a mensagem política”, o MpD está a conseguir fazê-lo junto da emigração.

“Estamos em linha com as preocupações, as ambições e o pretendido pelas nossas comunidades emigradas”, indicou o cabeça-de-lista dos ventoinhas pelo círculo eleitoral da Europa, adiantando que para hoje à tarde está prevista a apresentação das listas e que o seu partido vai respeitar todas as regras sanitárias em vigor em Portugal.


O encontro, de acordo com Barbosa, vai ser “simbólico” porque, neste momento, não se pode promover aglomerações de muitas pessoas pelo que vai haver uma transmissão online na rede social facebook do partido.


“As pessoas vão poder acompanhar a partir de casa, através da internet, porque o contexto [da pandemia] não permite”, afiançou, adiantando que, simbolicamente, vão ter uma sala com poucas presenças físicas.


“O MpD está muito forte em Portugal e em toda a Europa”, admitiu o candidato que prevê deslocar-se a alguns países, nomeadamente França, Itália e Espanha, lamentando não poder estar em todos como seria o seu desejo, mas que outros dirigentes do partido “vão ajudar neste processo de levar a mensagem do MpD a todos os cantos da Europa”.


A lista do MpD para a Europa é constituída por cinco candidatos, sendo dois efectivos e três suplentes e, de acordo com Emanuel Barbosa, vão ajudar a levar as propostas do partido a todas às comunidades cabo-verdianas no círculo eleitoral da Europa e resto do mundo.


Instado se está prevista a deslocação do líder do partido à Europa, informou que, neste momento, o que está garantida é a participação, por via online, de Ulisses Correia e Silva em alguns eventos.


Entretanto, não põe de lado a hipótese da presença do presidente do MpD na Europa, mas que esta eventual deslocação “é uma questão que está a ser tratada pela equipa que tem a responsabilidade da agenda de Ulisses Correia e Silva.


“Dizemos às nossas comunidades para estarem cientes às nossas propostas, que a comparem com a dos outros partidos mas que estejam cientes, sobretudo, em relação a quem cumpre as promessas”, lançou Emanuel Barbosa, dizendo que é “fácil colocar plataforma eleitoral”, mas, depois, “é cumprir as propostas”.


Ao todo, a nível da diáspora, são eleitos seis deputados, sendo dois para a Europa e resto do mundo, dois para a África e dois para a América.


Às legislativas do dia 18 de Abril, para a eleição de 72 deputados em 13 círculos eleitorais, dos quais 10 no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP.


PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e os três da diáspora) e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).


As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD) vencido com maioria absoluta, ao eleger 40 deputados, o PAICV 29 e a UCID três.


Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest