Legislativas 2021/ Fogo: UCID denuncia “situação alarmante” no emprego com jovens “sem perspectivas” de futuro

O cabeça-de-lista União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) mostrou-se “preocupado” com a alta taxa de desemprego jovem na ilha do Fogo, situação que classificou de “alarmante”, com jovens “desanimados e sem perspectivas de futuro”.

Pedro Ribeiro, da candidatura que suporta o lema “Basta dos mesmos, sim, somos opção”, disse que o slogan “veio mesmo a calhar”, já que se apresentam se como “alternativa viável e credível” à governação do país, na tentativa de “resgatar a dignidade” da região sul do arquipélago.

“Na Fogo não podemos falar em trabalho, muito menos em emprego, porque os jovens necessitam de uma ocupação, se for remunerado melhor ainda”, adiantou o político, que criticou a “falta de oportunidades iguais para todos os jovens” da ilha.


Para o cabeça-de-lista da UCID, o “desalento e a falta de ocupação” atingem a juventude dos três municípios do Fogo, e apontou o dedo aos políticos e aos governantes que, segundo ele, “passam a vida a mentir, a desconsiderar e a maltratar” os jovens da ilha.


“Os jovens não vêem qualquer ‘luz ao fundo do túnel’, não acreditam numa mudança tão cedo na forma de fazer política em Cabo Verde, em que os nossos governantes servem dos bens públicos, ao invés de os usarem para beneficiar a população”, criticou o candidato da UCID.


Por outro lado, com a pandemia da covid-19, assinalou Pedro Ribeiro, há um “cenário pessimista” acerca do desenvolvimento de uma “ilha rica e com potencialidades”.


Por isso, Ribeiro designa os políticos de “abusados e ignorantes” quando usam a expressão de que “Cabo Verde é único no Mundo, onde abunda dinheiro que nunca mais acaba”.


O líder regional da UCID criticou ainda os lemas das campanhas do PAICV e do MpD que, conforme explicou, é “uma afronta” à inteligência dos foguenses e dos cabo-verdianos, pois disse não entender o porquê de a ilha do Fogo ainda não dispor de um aeroporto internacional “moderno e bem equipado”, e nem de um porto com “melhores condições”.


“É vergonhoso como um emigrante não pode viajar para o seu próprio País”, criticou o cabeça-de-lista da UCID pelo círculo eleitoral do Fogo.


Pedro Ribeiro garantiu que a candidatura dos democratas cristãos tem “alternativas e ideias” para “trazer esperança” para a ilha do Fogo, que tem um “potencial extraordinário” ao nível da agricultura, pecuária, pescas, turismo e energias renováveis.


Às legislativas do dia 18 para eleição de 72 deputados em 13 círculos eleitorais, dos quais dez no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP.


– PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos eleitorais de Cabo Verde, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e três diáspora), e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).


– As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD) vencido com maioria absoluta, ao eleger 40 deputados, o PAICV 29 e a UCID três.

 

Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest