Legislativas 2021/São Vicente: Candidata da UCID classifica comícios de “atentado à saúde pública”

A segunda candidata da lista da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) para as eleições em São Vicente, Zilda Oliveira, criticou hoje MpD e PAICV por realizarem comícios, que classificou de “atentados à saúde pública”.

A candidata reafirmou a decisão do partido em não realizar comícios por acreditar que é um “atentado à saúde pública”.

“Estamos a viver uma situação de pandemia, promover ou criar situações de aglomeração demonstra claramente que não há cuidado e nem preocupação com a saúde das pessoas”, sublinhou Zilda Oliveira, criticando o Movimento para Democracia (MpD) e Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) por pretenderem realizar comícios em São Vicente.


“É algo extremamente grave e mostra qual a real preocupação dos dois partidos em relação à população”, reiterou a mesma fonte, pedindo aos eleitores para “penalizarem” os dois partidos nas urnas.


Zilda Oliveira, que esteve hoje em contactos na zona do Madeiralzinho, considerou igualmente “grave” os “vários problemas sociais” existentes em São Vicente, quando “deputados eleitos pelo circulo eleitoral dizem que a ilha está bem”.


“Quando andamos por São Vicente vemos tanta pobreza, tanta miséria social e é triste perceber que as pessoas muitas vezes não têm trabalho e não conseguem fazer uma refeição por dia e com tectos de casas a cair. São muitas pessoas neste tipo de situação”, sustentou.


Por essas razões, quem estiver no poder deverá, conforme a mesma fonte, promover um desenvolvimento que “vê para toda gente, mas principalmente os mais carenciados”.


Zilda Oliveira, que é psicóloga de profissão, passou a pente fino outras questões como doentes mentais nas ruas e crianças em situação de abandono.


“Temos muita miséria social para a qual não podemos fechar os olhos, porque são problemas que depois se não forem cuidados e sanados vão trazer outras problemáticas como a delinquência juvenil, aumento criminalidade e prostituição, entre outras”, enumerou, admitindo ser necessário o voto na UCID para “resolver” esses problemas.

O partido prossegue nesta quarta-feira com contactos porta-a-porta nas zonas de Vila Nova e Lombo Tanque.


A lista da UCID, em São Vicente, é encabeçada por António Monteiro, seguido de Zilda Oliveira, Amadeu Oliveira, Dora Pires, João Santos Luís, Nilton Rocha, Viviane Rocheteau, Nelson dos Santos, Ana Fernandes e Mateus Silva, que ocupa a décima posição.


Às legislativas do dia 18 para eleição de 72 deputados em 13 círculos eleitorais, dos quais dez no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP.


PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e três diáspora), e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).


As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD) vencido com maioria absoluta, ao eleger 40 deputados, o PAICV 29 e a UCID três.

 

Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest