Legislativas 2021: Ulisses Correia quer promover diferenciação positiva a favor da ilha Brava

O líder do Movimento para a Democracia (MpD) revelou hoje, na cidade de Nova Sintra, que caso seja renovado o mandato do partido vai promover uma diferenciação positiva a favor da Brava, para transformá-la numa ilha atractiva.

Ulisses Correia e Silva discursava na cerimónia de apresentação da lista do seu partido na ilha Brava, onde chegou na noite de terça-feira, 06, e foi recebido ao som de batuco, seguindo-se um desfile de carros desde Furna até Nova Sintra. 

Começou por agradecer pela “grande recepção”, considerando que é uma manifestação de “muita força, muita energia”, e disse que vão retribuir com uma “grande vitória” em Cabo Verde e na ilha Brava. 

Explicou que estão a recandidatar porque “merecem”, por aquilo que já atravessaram nos últimos cinco anos, nomeadamente, três anos de seca consecutivos e um ano de pandemia. 

 

“Estou a recandidatar também porque cinco anos é muito pouco. Fizemos muito em situação difícil, precisamos de mais tempo para concretizar e continuar a concretizar aquilo que é a nossa missão, visão, estratégia e objectivo para o desenvolvimento de Cabo Verde e da Brava”, justificou. 

 

“Vamos fazer mais diferenciação positiva a favor da Brava porque ela precisa acelerar o processo [de desenvolvimento] e para isso precisa de mais impulso, para transformá-la numa ilha atractiva, em vez de uma ilha que perde a sua população”, acrescentou. 

 

Adiantou que caso sejam os vencedores das legislativas do dia 18 haverá ainda mais atracção de investimentos, quer de privados da ilha, quer da diáspora e de investimentos estrangeiro porque estão “fortemente empenhados” em transformar Brava numa ilha “atractiva para investimento”.

 

Continuar a promover a “boa parceria” com o poder local, a fazer investimentos na estrada, nas acessibilidades, na água para consumo humano, que é a dessalinização de 500 metros cúbicos por dia, assim como reforçar a mobilização de água para agricultura são outras das promessas de Ulisses Correia e Silva. 

 

A mesma fonte prometeu ainda a massificação da rega gota-a-gota, utilização de energias renováveis para além daquilo que foi feito, em algumas localidades, caminhos vicinais, miradouros, piscinas naturais, fazer da Brava uma ilha com ecoturismo rural, cultural, aproveitando na plenitude o que tem, que é “a maior referência da morna”,  Eugénio Tavares.

 

Dentro do conceito de diferenciação positiva da Brava,  disse que tem algumas “apostas importantes”, entre as quais “Brava 100 por cento renovável, projecto que, disse, já está em curso. 

 

A candidatura “Cabo Verde no caminho seguro” compromete-se ainda a reduzir taxas e impostos incluindo aduaneiros na Brava para poderem atrair mais investimentos para a ilha, anunciou também que vai isentar da taxa moderadora de saúde todas as famílias que integram o grupo de pobreza extrema, assim como outros grupos que já estão definidos. 

 

Anunciou igualmente o reforço das relações com a diáspora, defendendo que se deve “encurtar a distância” com os EUA, o estatuto do investidor emigrante vai ser implementado, bem como a isenção de taxas aduaneiras a tudo aquilo que é pequenas remessas familiares. 

 

Às legislativas do dia 18 para eleição de 72 deputados em 13 círculos eleitorais, dos quais dez no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP. 

 

PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e três diáspora), e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).  

 

As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD) vencido com maioria absoluta, ao eleger 40 deputados, PAICV 26 e a UCID três.  

 

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest