Lucros da tabaqueira cabo-verdiana caíram 20,1% mas pagam 215,9 milhões de escudos de dividendos

Os lucros da Sociedade Cabo-verdiana de Tabacos (SCT) caíram 20,1% em 2020, para 215,9 milhões de escudos (quase dois milhões de euros) tendo a tabaqueira aprovado um dividendo de 833 escudos (7,50 euros) por cada ação.


De acordo com o relatório e contas de 2020 da empresa, a que a Lusa teve acesso, o conselho de administração da SCT propôs a aplicação de 200 milhões de escudos (1,8 milhões de euros) em dividendos aos acionistas.

Distribuídos pelas 240.000 ações da tabaqueira, que tem o monopólio da distribuição do tabaco em Cabo Verde, trata-se de um dividendo de cerca de 833 escudos (7,5 euros) por cada ação, enquanto os restantes 15,9 milhões de escudos (144 mil euros) serão aplicados em reservas legais da empresa.

O relatório e contas da SCT acrescenta que a empresa tem atualmente reservas de 443.560.356 escudos (quatro milhões de euros) e que a reserva legal “já atingiu o valor máximo exigido por lei”, daí voltar a distribuir o mesmo valor em dividendos face a anos anteriores, apesar da quebra de 20,1% nos lucros de 2019 para 2020.

“Apesar do contexto pandémico de 2020, os indicadores económicos e financeiros do período em análise, em geral, revelam uma evolução positiva comparativamente aos exercícios anteriores, com destaque para os indicadores de liquidez geral, de autonomia financeira e de solvabilidade, que demonstram a capacidade da SCT de cumprir com os seus compromissos por meios próprios”, lê-se no relatório e contas.

A estrutura acionista da SCT é liderada (51,15%) por um Agrupamento de Empresas, com 122.760 ações, seguido do Município do Sal (12,50%), que detém 30.000 ações. As restantes 87.240 ações (36,35%) estão cotadas na Bolsa de Valores de Cabo Verde e distribuídas pelo público em geral, segundo informação da empresa.

Face à “incerteza provocada pela pandemia do covid-19 e à expetativa da reforma do quadro legal da indústria tabaqueira no país”, a empresa refere ainda que “adiou a implementação do plano de investimentos para 2020/2021”.

Com sede na ilha de São Vicente, a tabaqueira cabo-verdiana fechou 2020 com cerca de 40 trabalhadores e uma capitalização bolsista recorde de 436,2 milhões de escudos (cerca de quatro milhões de euros).


Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us