Luxemburgo assina cinco programas de cooperação com Cabo Verde no valor de 53M€

A Comissão de Parceria entre Luxemburgo e Cabo Verde assinou cinco novos programas de cooperação avaliados em 53 milhões de euros, a implementar pelo arquipélago até 2025, anunciou hoje o Governo cabo-verdiano.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde refere que a 21.ª reunião anual da Comissão de Parceria entre os dois países teve lugar em 12 de janeiro de 2022 e permitiu encerrar o Quarto Programa Indicativo de Cooperação (PIC IV 2016-2020), tendo “grande parte das suas intervenções sido alargadas por um ano por causa da pandemia da covid-19”.

A reunião entre os dois governos permitiu ainda “lançar a implementação dos principais programas” do próximo Programa Indicativo de Cooperação “Desenvolvimento – Clima – Energia”, PIC DCE (2021-2025), assinado em julho de 2020 e financiado pelo Luxemburgo, que rege a cooperação entre os dois países nos próximos cinco anos.

A Comissão de Parceria concluiu, refere o comunicado, com a assinatura de cinco novos programas de cooperação nas áreas do emprego e empregabilidade (17,5 milhões de euros), finanças inclusivas (1,5 milhões de euros), transição energética (12 milhões de euros), ação climática (10 milhões de euros) e água e saneamento (12 milhões de euros), totalizando 53 milhões de euros.

Esta reunião anual decorreu no Luxemburgo e foi presidida, pela parte cabo-verdiana, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Integração Regional, Rui Figueiredo Soares, e pelo ministro da Cooperação e Ação Humanitária do Luxemburgo, Franz Fayot. Integraram ainda a delegação os ministros da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, e da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Monteiro, bem como os ministros do Ambiente, Clima e Desenvolvimento Sustentável, Carole Dieschbourg e da Energia, Claude Turmes, ambos do Luxemburgo.

As relações de cooperação entre Cabo Verde e o Luxemburgo datam dos finais da década de 1980 e, em 1993, Cabo Verde tornou-se um país parceiro privilegiado da Cooperação Luxemburguesa, após a assinatura, a 03 de agosto de 1993, de um primeiro Acordo Geral de Cooperação, que definiu o quadro geral das atividades de cooperação, entre os dois países, nos domínios cultural, científico, técnico, financeiro e económico.

Desde 1999 realizam-se anualmente – na Praia e no Luxemburgo, alternadamente – Comissões de Parceria entre os dois países.

Em janeiro de 2002, os dois países assinaram um primeiro Programa Indicativo de Cooperação (PIC) por um período de quatro anos (2002- 2005), o qual contribuiu para um aumento da coerência, da flexibilidade e da sustentabilidade nas relações de cooperação.

Devido à pandemia de covid-19, o quarto PIC foi alargado para 2021 e em junho de 2020, os dois países assinaram o quinto programa de cooperação, estimando um apoio financeiro ao arquipélago de 78 milhões de euros, um aumento de 20 milhões face ao programa anterior.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest