Maio: Período de nidificação das tartarugas arranca com registos de apanha apesar da prática ser ilegal

A temporada de nidificação das tartarugas marinhas na ilha do Maio, a decorrer desde Junho, arrancou com registos de apanha em quase todas as praias patrulhadas pela Fundação Maio Biodiversidade, alertou fonte da organização.

Herval Silva, coordenador do programa de preservação das tartarugas, disse à Inforpress que a apanha de tartarugas marinhas constitui, ainda, um dos maiores desafios para a preservação desta espécie na ilha do Maio, tendo já esta temporada registado casos de apanha.

“As pessoas ainda têm insistido em capturar as tartarugas marinhas na ilha. Podemos dizer que já nesta temporada já encontramos indícios de apanha em quase todas as praias patrulhadas”, avançou o coordenador.

A par do problema da apanha, o desafio na proteção das tartarugas envolve, ainda, a mobilização de mais voluntários, tendo em conta que, com a perda da população da ilha, segundo Herval Silva, há cada vez menos pessoas disponíveis para participar das acções.

“A ilha do Maio tem perdido muita população jovem. Em certas comunidades não há jovens, apenas idosos e crianças, o que dificulta ter pessoas locais em algumas comunidades para trabalhar connosco”, lamentou.

A Fundação Maio Biodiversidade tem neste momento cerca de cem pessoas a participar em acções de preservação das tartarugas marinhas, com aposta em formação intensiva em Biologia, monitorização e conservação de tartarugas para equipas, líderes e monitores.

As acções da fundação envolvem as comunidades de toda a ilha, tanto é que todas as zonas possuem líderes, com equipa constituída e que tem auxiliado a instituição nas acções de patrulha e sensibilização.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest