Mais de 500 cabo-verdianos foram para a Europa em 10 anos de mobilidade académica

Um total de 526 estudantes, docentes e técnicos universitários cabo-verdianos foram para a Europa em 10 anos ao abrigo do programa de mobilidade Erasmus+, segundo dados disponibilizados à Lusa pela delegação da União Europeia na Praia.

“De 2014 a 2023, pelo menos 526 estudantes, docentes e ‘staff’ universitário de Cabo Verde beneficiaram do Programa Erasmus+”, precisou a mesma fonte à Lusa.

Em sentido contrário, da Europa para Cabo Verde houve 344 deslocações no mesmo período.

O programa de mobilidade académica Erasmus teve início em 1987 e até 2014 beneficiou apenas jovens europeus, para uma experiência internacional em estudo, viagem, estágio, ganho de experiência profissional ou voluntariado noutro país.

A iniciativa já conta com mais de 200 países participantes ou parceiros e um deles é Cabo Verde.

O programa, executado pela Comissão Europeia, já permitiu até agora o intercâmbio de mais de 10 milhões de pessoas.

Para o período 2021-2027, tem um orçamento de mais de 26 mil milhões de euros.

Inclusão e diversidade, transformação digital, ambiente a combate às alterações climáticas, participação na vida democrática, valores comuns e participação cívica são as prioridades do programa.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest