Manifestação: Trabalhadores da DGASP alegam “discriminação laboral” e exigem melhorias salariais

Manifestação: Trabalhadores da DGASP alegam “discriminação laboral” e exigem melhorias salariais

Os trabalhadores da Direcção-Geral da Agricultura, Silvicultura e Pecuária realizaram ontem, dia 8, uma manifestação pacífica exigindo do Governo a melhoria salarial com base na nova tabela de remuneração transitória do Plano de Carreiras Funções e Remunerações.

O Sindicato da Indústria, Serviços, Comércio, Agricultura e Pesca, (SISCAP), enquanto representante desses trabalhadores, na voz do presidente, Francisco Varela, disse que essa manifestação tem razão de ser porque foi criada uma nova tabela de remuneração transitória, mas o ministério fez uma “grande discriminação laboral”.

“O ministério aplicou aumento de Plano de Carreiras Funções e Remunerações (PCFR) aos trabalhadores da Direcção-Geral de Planeamento, Orçamento e Gestão (DGPOG) enquanto que os cerca de 100 trabalhadores que pertencem ao quadro da DGASP não foram contemplados com este aumento e não obtiveram nenhuma explicação”, disse Francisco Varela.

Conforme o dirigente sindical foi entregue uma nota ao Ministério da Agricultura e Ambiente a solicitar uma explicação da não implementação ainda do PCFR, no entanto já vão a meio do ano e sem resposta.

Avançou ainda que por categoria esses trabalhadores recebem um salário mínimo de 15 mil escudos que deveria ser no mínimo 19 mil.

No caso da Inquiridora, Francisca Centeio que trabalha no sector de estatística há mais de 20 anos recebe apenas 20 mil escudos.  

“O meu trabalho é no terreno, buscando informações para o complemento de dados estatísticos, então nós também queremos os mesmos direitos e sem discriminação”, contou Francisca, afirmando que o valor não chega para pagar todas as despesas.

Por outro lado, o técnico José Cabral, considerou que a situação é “péssima” tendo em vista o trabalho que todos estão a desempenhar.

Este problema reflecte a todos os trabalhadores da DGASP, a nível nacional, que prometem partir para a greve.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest