Ministro das Finanças justifica crescimento de 17,7% com preparação durante a pandemia

O ministro das Finanças afirmou hoje que o crescimento histórico da economia verificado em 2022, 17,7%, deveu-se à preparação do país durante a pandemia para acolher o 'boom' turístico.

Este crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) explica-se com “o trabalho feito durante a pandemia, na recuperação da atividade económica Cabo Verde”, afirmou à Lusa Olavo Correia a partir de Washington, onde participou nos encontros da Primavera do Fundo Monetário Internacional.

“Nós fizemos um trabalho enorme, ao nível do plano de vacinação, ao nível da preparação dos setores para termos o país pronto para a retoma após a pandemia”, nomeadamente “junto dos mercados turísticos”, mostrando que “Cabo Verde é seguro e com qualidade”, disse.

Durante dois anos, “houve muita procura que foi bloqueada” e, com “a abertura do mercado a procura aumentou, nomeadamente ao nível do turismo” e já estão a ser ultrapassados “os números históricos em 2019, que foi o melhor ano na história do turismo em Cabo Verde”, afirmou.

O aumento do turismo, explicou, cria também “um potencial de crescimento para todos os demais setores de atividade económica e agora o esforço é mantermos a dinâmica de crescimento económico”.

Quanto ao futuro, Olavo Correia está otimista: “É claro que não vamos poder crescer todos os anos 17%, é muito difícil, mas a nossa meta é estar perto dos dois dígitos”, até porque há um “potencial por cumprir”, já que o país “não tem capacidade de oferta” hoteleira para a procura que existe.

Nesse sentido, há “condições para manter essa dinâmica” e assumir o país como “destino emergente” e “diversificado com qualidade”, que sirva mais ilhas, como “São Vicente, Santiago, Santo Antão, o Fogo ou a ilha do Maio”.

“Queremos um turismo sustentável e sustentado” que possa “alavancar crescimento para outros setores”, concluiu.

A economia cabo-verdiana recuperou totalmente da queda provocada pela pandemia de covid-19 em 2020, que até foi revista em alta pelo INE, tendo o Produto Interno Bruto (PIB) crescido 17,7% no ano passado, impulsionado pelo turismo.

De acordo com dados das Contas Trimestrais do Instituto Nacional de Estatística (INE) compilados pela Lusa, o desempenho da economia cabo-verdiana em 2022, somado ao crescimento de 6,8% do PIB em 2021, permitiu anular a recessão de 19,3% em 2020.

O turismo garante cerca de 25% do PIB e do emprego em Cabo Verde. O investimento caiu 31,8% em 2022, enquanto o consumo privado cresceu 28,3% e o consumo feito pelo Estado caiu 7%, face a 2021.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest