Ministro destaca esforço da União Europeia na aquisição de fundos para combater a pandemia

A União Europeia (UE) é um parceiro estratégico muito importante no combate a pandemia da covid-19, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, que destacou o esforço da mesma na aquisição de fundos.

 

“Continuamos a ter um grande apoio da União Europeia como um parceiro muito interessando nesta questão que tem que ver com o próprio país, com as condições sanitária, mas também de desenvolvimento do país e é um dos principais financiadores do mecanismo global Covax criado no âmbito da Aliança Global para as Vacinas”, disse Rui Figueiredo Soares.


O ministro, que falava à Inforpress sobre a parceria especial entre a UE e Cabo Verde, no âmbito do Dia da Europa, celebrado a 09 de Maio, assegurou que desde a primeira hora mostraram-se disponíveis em colaborar com o arquipélago na aquisição de vacinas.


Segundo o ministro, a própria União Europeia debate-se com uma situação especial de acesso, disponibilidade e de aquisição de vacinas, mas mesmo assim tem feito grandes esforços que tem permitido ao País ter fundos para combater a pandemia do novo coronavírus, que já causou mais de 25.526 infecções e 230 mortes em Cabo Verde.


“O desembolso em tempo recorde da ajuda orçamental 2020 em mais de 7 milhões de euros permitiu-nos um grande desafogo orçamental e ajudou-nos a ter alguma margem para socorremos também as próprias famílias e empresas que estavam em situações difíceis”, sublinhou.


Por outro lado, no âmbito da luta contra a pandemia, a União Europeia colocou à disposição do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em Cabo Verde o montante de 5 milhões de euros para financiamento do projecto competitividade.


“Temos aqui de facto o grande interesse da União Europeia da primeira hora, relativamente a esta questão, não só através do mecanismo Covax, mas também através do papel que a embaixadora da UE, Sofia Moreira, teve no sentido das especificidades e as grandes necessidades de Cabo Verde serem tidas em divida conta”, reconheceu.


Rui Figueiredo assegurou que o Governo não tem ficado apenas pelas iniciativas relacionadas com donativos e tem procurado outras formas e mecanismos para adquirir as vacinas e atingir a meta de vacinar 70% da população até ao final do ano.


Segundo o governante, o Governo terá de fazer um recurso extraordinário de fundos e de meios para obter vacinas, mas lembrou que o problema que se coloca neste momento não tem a ver com a disponibilidade de fundos, mas com disponibilização no mercado.

“Estamos a desenvolver todos os esforços também, para paralelamente aos donativos, temos de vários países, e aqui reforço o papel de Portugal como estado membro da EU e um parceiro muito especial de Cabo Verde tem feito um esforço memorável não só em equipamentos como na disponibilização de vacinas”, referiu.


Avançou que neste momento uma equipa médica encontra-se em Cabo Verde a colaborar com as autoridades nacionais, mas brevemente chegarão mais duas com materiais juntamente com as vacinas prometidas pelo Governo português.

Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us